in

MÉDICO-VETERINÁRIO DEVE ATUAR CONTRA A PIRATARIA DE MEDICAMENTOS PETS

Pesquisa da Comac indica que tutores confiam na indicação dos profissionais

Pesquisa da Comac indica que tutores confiam na indicação dos profissionais

A pirataria de medicamentos atinge tanto o mercado de animais de grande porte, quanto o mercado pet. Os produtos indicados para animais de companhia também são alvos de falsificações, contrabando ou podem não possuir registro nos órgãos competentes brasileiros, o que resulta em um produto vendido sem a realização de testes e sem eficiência comprovada.

Segundo dados do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (Sindan), os medicamentos veterinários ilegais representam de 10% a 15% dos produtos consumidos no Brasil e movimentam, aproximadamente, R$ 600 milhões anualmente. A produção de medicamentos veterinários exige conhecimento técnico e grande volume de investimentos. Preservar a saúde e o bem-estar do animal de companhia envolve o trabalho de profissionais dedicados e preocupados não só com a segurança quanto ao uso dos produtos veterinários e sua eficácia, mas também com a saúde das pessoas que convivem com o animal em tratamento.

A atuação do médico-veterinário contra a pirataria é fundamental e reforça o trabalho de conscientização da população. Segundo o estudo Árvore de Valor, realizado pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), os tutores confiam na indicação do veterinário para medicamentos, vacinas e alimentação, por exemplo. Por isso, é importante que o médico-veterinário alerte e ensine como o tutor pode reconhecer produtos legítimos.sono_remedios1

Compra de medicamentos deve ser realizada com fornecedores e estabelecimentos confiáveis, de forma planejada e segura (Foto: reprodução)

É importante lembrar os passos para certificar que um medicamento/produto é confiável:

A embalagem deve conter a aprovação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA, Brasília/DF), bem como número de registro no Ministério; identificação do responsável técnico na embalagem do produto; um telefone de serviço ao consumidor do fabricante; as embalagens em língua portuguesa devem indicar a data de fabricação e validade; e o consumidor pode consultar o Compêndio de Produtos Veterinários da Comac/Sindan para se certificar do registro do produto.

Outro ponto importante para evitar ter acesso a estes medicamentos é realizar a compra com fornecedores e estabelecimentos confiáveis, de forma planejada e segura. Além da saúde do animal e das pessoas que convivem com os cães ou gatos, o uso de medicamentos confiáveis também traz benefícios em caso de atendimento ao consumidor, procedência dos ativos presentes no produto e garantia de eficácia.

Os produtos ilegais significam prejuízos para saúde animal e humana, para o varejo e para a indústria veterinária.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PARA DOCENTES, PROJETO ESTRATÉGIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM PROPORCIONA VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL

DESAFIO FRONTILINE, DA MERIAL, REEMBOLSA CONSUMIDOR CASO O EFEITO NÃO SEJA O ESPERADO