in

Dezembro verde: mês de conscientização contra o abandono de animais

Abandono e maus-tratos são crimes passíveis de condenação

O dezembro verde chegou, e assim como tantos outros meses representam uma cor, a fim de lutar por uma causa, o último mês do ano também está no calendário colorido  de maneira a representar o período de férias e festividades, como também, sinaliza um período de presentes e até mesmo presentear alguém com um pet. As orientações são intensificadas para prevenir a aquisição por impulso e, consequentemente, o abandono.

Para a médica-veterinária, integrante da Comissão Técnica de Bem-estar Animal do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), Rosangela Ribeiro Gebara, a campanha tem como base alertar para a relevância da guarda responsável, considerando características peculiares que refletem o impacto de fatores sociais e econômicos na qualidade de vida dos animais de estimação.

A profissional explica que, desde 2019, agravou-se ainda mais as questões de abandono e maus-tratos, devido às consequências da Covid-19. “O isolamento social provocou uma alta temporária na compra ou adoção de animais de estimação e, ao mesmo tempo, desencadeou uma onda expressiva de maus-tratos e abandono”, pontua.

Rosangela, que atuou em programas da World Animal Protection com foco em animais de companhia e em situações de desastre, alerta que “é preciso reforçar a importância social da atuação orientativa dos médicos-veterinários, especialmente nesse período de crise sanitária provocada pela pandemia, para que não haja a aquisição de um animal sem que o tutor faça um planejamento prévio”.

Problemas financeiros, queda no poder aquisitivo, fatores emocionais ou aquisição sob apelo são as “situações mais comuns para justificar o abandono”, de acordo com a médica-veterinária. No entanto, a profissional ressalta que essa atitude é crime previsto pelas leis federais nº 9.605/1998 e nº 14.064/2020, passível de condenação caso seja comprovado o abandono ou maus-tratos.

“O médico-veterinário pode intervir como agente educacional orientando o tutor sobre o sofrimento causado aos animais e os riscos que o abandono provoca na Saúde Única”, enfatiza Rosangela. 

abandono de animais
“Durante pandemia de Covid-19 muitos animais foram adotados, mas, ao mesmo tempo, desencadeou uma onde de abandonos e maus-tratos” (Foto: reprodução)

Pontos importantes a serem discutidos

Além de ser uma oportunidade para estimular a discussão sobre abandono e maus-tratos, outro aspecto importante da campanha Dezembro Verde é a conscientização de construir um ambiente saudável para o pet, levando em consideração vários questionamentos, tais como: Todos na família estão de acordo com a presença do animal? O pet terá onde ou com quem ficar quando o tutor for viajar? Há um espaço adequado para dormir e brincar? O cuidador terá tempo de passear e dar atenção diária ao bicho? Haverá condições de levar o cão ou gato ao médico-veterinário? Essas e muitas outras perguntas precisam ser respondidas a fim de lutar sobre os direitos dos animais.

Em breve, publicaremos uma reportagem sobre a campanha Dezembro Verde aqui em nosso portal de notícias. Fique ligado!

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Luto pela perda de um animal de estimação ainda é desmerecido por muitas pessoas

Câncer de pele em pets: como prevenir, tratar e saber a hora certa para a eutanásia?

CRMV-MG coíbe realização de mutirão de castração sem estrutura adequada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vet Show

Agenda: PremieRpet realiza evento inédito destinado a médicos-veterinários

gatos em lares brasileiros

Crescente número de gatos em lares brasileiros reforça necessidade de entender espécie