in

NOVA ZELÂNDIA OBSERVA REAPARECIMENTO DE PÁSSAROS DURANTE LOCKDOWN

País manteve trabalho de conservação de espécies em extinção durante quarentena

País manteve trabalho de conservação de espécies em extinção durante quarentena

Conhecida pela preservação do meio ambiente e pela sua fauna abundante, com espécies peculiares de animais, a Nova Zelândia notou um fenômeno muito interessante da natureza durante o recente período lockdown (restrição de circulação). Durante esse tempo, em que a população ficou dentro das suas casas por semanas, curiosos pássaros locais mudaram de comportamento e começaram a aparecer nas cidades e até nas casas das pessoas.

Durante o bloqueio de nível quatro da Nova Zelândia, que incluiu medidas mais restritivas de circulação, um importante trabalho de conservação para proteger espécies nativas do País continuou sendo realizado. Para manter a sobrevivência da espécie tūturuatu, uma das mais ameaçados de extinção, foram autorizados a viajar de avião cinco pássaros jovens, que são parte dos 250 restantes no País, para uma missão considerada essencial pelo Departamento de Conservação. Os pássaros voaram rumo a Wellington para o santuário Zealandia, que tem o objetivo de restaurar ecossistemas e que já reintroduziu 18 espécies de animais selvagens nativos de volta à área.

Foi justamente no refúgio de 225 hectares, novo habitat dos tūturuatu, que se percebeu que a natureza começou a reviver. Os animais, ali, estabeleceram uma nova rotina e ficaram mais atrevidos. Sem ninguém por perto, passaram a percorrer inúmeros caminhos de reserva da vida selvagem e, quando um guarda florestal estava por perto cumprindo seus deveres, os animais, curiosos, se aproximavam e até pousavam no guidão dos seus quadriciclos, situação que nunca aconteceu antes. Esse fenômeno também foi percebido por toda a Nova Zelândia, levando diversão às pessoas ao ver pássaros em seus bairros que antes não eram percebidos.

A guardiã chefe do santuário de pássaros Zealandia, Ellen Irwin, sugere que não necessariamente só os pássaros tenham mudado de comportamento, mas, também, as pessoas. “Com a vida mais silenciosa e lenta, é possível que as pessoas também estejam desacelerando e percebendo mais os pássaros e a natureza. Talvez, eles tenham estado sempre por lá, mas só agora conseguimos vê-los”, comenta Irwin.

A Nova Zelândia abriga 168 espécies de aves, sendo 93 delas nativas. Um quarto dos pássaros por lá não são encontrados em nenhum outro lugar do mundo, reforçando a singularidade da fauna do País. O kiwi é o pássaro mais famoso e também o mais incomum e peculiar. E, para garantir a sobrevivência dele e de todas as espécies raras e únicas, além das aves ameaçadas de extinção, o País conta com o trabalho do Departamento de Conservação da Nova Zelândia (DOC), que é líder mundial em ciência da recuperação de aves.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

REPRODUÇÃO

GRADUANDOS DE VETERINÁRIA COMENTAM PERÍODO DE AULAS ON-LINE

REPRODUÇÃO

CERTOS ALIMENTOS PODEM AUXILIAR NO CUIDADO DERMATOLÓGICO DOS CÃES