Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Nutrição está diretamente relacionada com a saúde cardíaca dos animais

Por Equipe Cães&Gatos
cardio
Por Equipe Cães&Gatos

As cardiomiopatias são consideradas alterações cardíacas nas quais o músculo cardíaco pode estar funcionalmente ou estruturalmente comprometido1. Estima-se que 10% da população de cães apresentem alterações cardíacas, sendo destes 75% correspondentes à degeneração mixomatosa da válvula mitral2.

Já em gatos, a estimativa é de que 15% da população felina possua cardiomiopatias, sendo a cardiomiopatia hipertrófica a mais prevalente3. Em 2019, o American College of Veterinary Internal Medicine (ACVIM) elaborou um consenso para o estadiamento clínico de cardiomiopatias em cães2 e gatos3, esquematizados na tabela 1. 

O correto estadiamento é de suma importância para determinar o tratamento clínico e nutricional ao qual o paciente deverá ser submetido4,5. Dentre as mudanças dietéticas necessárias, destacam-se o fornecimento adequado de calorias, controle de sódio e suplementação com ácidos graxos ômega 36. A nutrição deve integrar parte do tratamento na doença cardíaca visando manter o escore de condição corporal dentro da normalidade, evitar deficiências e excessos de nutrientes e obter benefícios a partir de determinados nutrientes retardando a progressão da doença4. 

Embora por muitos anos tenha se acreditado que já em estágios iniciais de insuficiência cardíaca o sódio dietético devesse ser restringido, estudos atuais têm demonstrado que a restrição precoce de sódio pode aumentar a ativação do Sistema Renina Angiotensina Aldosterona, piorando a progressão da doença5,7. Em estudo de Freeman et al com cães com cardiomiopatias estágios A e B1, a restrição moderada de sódio (62mg/100kcal) levou à redução do tamanho de átrio e ventrículo esquerdos, enquanto a restrição severa (32mg/100kcal) aumentou os níveis séricos de aldosterona7. A ativação desse hormônio por sua vez pode levar a estresse oxidativo, inflamação e distúrbios eletrolíticos como hipercalemia6. 

Leia o artigo completo na edição 278 da C&G VF, de outubro de 2022. Clique aqui!

Referências 

  1. ELLIOTT, Perry et al. Classification of the cardiomyopathies: a position statement from the European Society Of Cardiology Working Group on Myocardial and Pericardial Diseases. European heart journal, v. 29, n. 2, p. 270-276, 2008.
  2. KEENE, Bruce W. et al. ACVIM consensus guidelines for the diagnosis and treatment of myxomatous mitral valve disease in dogs. Journal of veterinary internal medicine, v. 33, n. 3, p. 1127-1140, 2019.
  3. FUENTES, Virginia L. et al. ACVIM consensus statement guidelines for the classification, diagnosis, and management of cardiomyopathies in cats. Journal of Veterinary Internal Medicine, v. 34, n. 3, p. 1062-1077, 2020.
  4. FREEMAN, Lisa M. Beneficial effects of omega‐3 fatty acids in cardiovascular disease. Journal of Small Animal Practice, v. 51, n. 9, p. 462-470, 2010.
  5. KROLL, Fernanda S. et al. A importância do sódio no manejo nutricional de cães e gatos cardiopatas. MEDVEP. Rev. cient. Med. Vet., p. 608-614, 2010.
  6. LAFLAMME, Dottie. Nutritional Management in Canine Heart Disease. Cardiac Disease, p. 18-24, 2020.
  7. FREEMAN, Lisa M.; RUSH, John E.; MARKWELL, Peter J. Effects of dietary modification in dogs with early chronic valvular disease. Journal of veterinary internal medicine, v. 20, n. 5, p. 1116-1126, 2006.
  8. FREEMAN Lisa M. Nutritional management of heart disease. In: Bonagura JD, Twedt DC, editors. Kirk’s current veterinary therapy XIV, 14th ed. St. Louis: Saunders; 2009. p.704-708.
  9. FREEMAN, Lisa M. Interventional nutrition for cardiac disease. Clinical techniques in small animal practice, v. 13, n. 4, p. 232-237, 1998.
  10. SLUPE, J. L.; FREEMAN, L. M.; RUSH, J. E. Association of body weight and body condition with survival in dogs with heart failure. Journal of veterinary internal medicine, v. 22, n. 3, p. 561-565, 2008.
  11. BAUER, John E. The essential nature of dietary omega-3 fatty acids in dogs. Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 249, n. 11, p. 1267-1272, 2016.
  12. WEBSTER, Larissa J. Reviewing the Potential Link Between Grain-Free Diets and Dilated Cardiomyopathy in Canines. University Honors Theses, paper 867. 2020.
  13. MCCAULEY, Sydney R. et al. Review of canine dilated cardiomyopathy in the wake of diet-associated concerns. Journal of Animal Science, v. 98, n. 6, p. 155, 2020.
  14. LEE, Rita. Impact of Nutrition and Diet Associated with Canine Dilated Cardiomyopathy. Washington State University. 2021.
  15. GOMPF, Rebecca E. Nutritional and herbal therapies in the treatment of heart disease in cats and dogs. Journal of the American Animal Hospital Association, v. 41, n. 6, p. 355-367, 2005.

(Foto: C&G VF)

LEIA TAMBÉM:

Sofrimento dos pets pode causar distúrbios psicológicos em tutores e veterinários

Médica-veterinária destaca a importância da conscientização sobre o câncer de mama em gatos

Fadiga por compaixão é um dos males atuais dos profissionais da Medicina Veterinária

Compartilhe este artigo agora no