Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Obesidade em pets pode ser evitada com tratamento veterinário

Sinais podem mostrar ao tutor que ganho de peso foi excessivo
Por Equipe Cães&Gatos
Hungry dog stealing food from table. Pet nutrition
Por Equipe Cães&Gatos

A alimentação é a principal fonte de energia dos animais para gastarem ao longo do dia, mas, às vezes, por diversos motivos, os amigos de quatro patas comem excessivamente. Dentre essas causas, a mais comum é quando oferecemos a eles alimentos impróprios ou não acontecem as práticas de exercícios.

- PUBLICIDADE -

A médica veterinária e coordenadora do curso de Medicina Veterinária do Uninassau – Centro Universitário Maurício de Nassau Recife, campus Graças, Priscila Leite, explica: Negar um petisco aqui ou ali aos pets é, muitas das vezes, quase que irresistível, porém é uma tarefa que precisa ser feita. Eles têm facilidade em conquistar nosso coração para conseguir comida, ainda assim, não podemos negligenciar a saúde dos nossos amigos de quatro patas”. 

Por isso, é importante identificar quando seu animal está com sobrepeso ou já apresenta sinais de obesidade. Nos cães, por exemplo, o cansaço ao andar ou correr, a dificuldade para se locomover e em respirar são alguns dos indícios. 

Funny fat dog pug stands on the scales on a white background.
Método veterinário pode avaliar se o pet está enquadrado em obesidade (Foto: reprodução)

Segundo a veterinária, existe uma medição técnica para saber se o animal apresenta obesidade canina. “Há um método onde se avalia características corporais chamado Escore de Condição Corporal (ECC) e se baseia na palpação da camada de gordura corporal do cão, com escalas de 1 a 9. De 1 a 3 o cachorro está magro. De 4 a 6 é considerado peso adequado. Já de 7 a 10 está obeso e precisa ainda mais de cuidados”, afirma Priscila.

Para evitar o peso elevado, a especialista aponta que é necessário ter uma alimentação equilibrada, com frutas, legumes, vegetais e outros tipos de proteínas que sejam adequadas ao animal. Caso a obesidade seja identificada, algumas medidas devem ser tomadas.

“Regrar a alimentação dos nossos amigos é sempre importante independentemente da fase da vida deles e não deixar a comida sempre disponível a eles. Para impedir complicações que podem vir desde problemas nas articulações até a menor expectativa de vida, procure o acompanhamento de um veterinário com o objetivo de oferecer hábitos mais saudáveis ao seu pet”, orienta a veterinária.

Fonte: Uninassau, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Cuidados com as fêmeas: É possível um cio após castração?

Atenção: anemia em cães e gatos é sintoma, e não doença

Lei da microchipagem é regulamentada no Rio de Janeiro (RJ)

Compartilhe este artigo agora no