in

OMS e líderes de vários países destacam importância da Saúde Única contra futuras pandemias

A proposta é estimular a criação de um tratado que aprimore pesquisa, diagnósticos e medicamentos

Um documento, divulgado em 30 de março, foi assinado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e líderes de vários países, no qual conclamam a comunidade internacional a trabalhar em conjunto “para um novo tratado internacional para preparação e resposta à pandemia”. Motivado pela emergência mundial causada pela pandemia da covid-19, o texto reforça a certeza de que “haverá outras pandemias e outras grandes emergências de saúde (…). A questão não é se, mas quando”. A abordagem em Saúde Única é apresentada como um dos itens a compor esse esforço global.

A proposta é estimular a criação de um tratado que aprimore a cooperação internacional e fortaleça “as capacidades nacionais, regionais e globais e a resiliência a futuras pandemias”, o que inclui “melhorar, por exemplo, sistemas de alerta, compartilhamento de dados, pesquisa e produção e distribuição local, regional e global de contramedidas médicas e de saúde pública, como vacinas, medicamentos, diagnósticos e equipamentos de proteção individual. Também incluiria o reconhecimento de uma abordagem ‘Saúde Única’ que conecta a saúde de humanos, animais e nosso planeta”.

Com isso, os 26 líderes e o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, acreditam ser possível construir uma arquitetura de saúde global mais robusta, que protegerá as gerações futuras. Entre outros, assinam a proposta os primeiros-ministros da Itália, do Reino Unido, da Espanha de Fiji e Trinidad e Tobago, a chanceler da Alemanha e os presidentes do Chile, da França, Tunísia, de Ruanda e do Conselho Europeu.

“Nenhum governo ou agência multilateral pode enfrentar essa ameaça sozinho”, afirmam os líderes no artigo, que destaca que a pandemia da Covid-19 demonstrou de forma “gritante e dolorosa” que “ninguém está seguro até que todos estejam seguros”. Daí a necessidade de o mundo inteiro estar mais bem preparado para “prever, prevenir, detectar, avaliar e responder com eficácia às pandemias de uma forma altamente coordenada.”

O texto assinala que esse possível tratado “teria suas raízes na constituição da Organização Mundial da Saúde, atraindo outras organizações (…) em apoio ao princípio da saúde para todos. Os instrumentos globais de saúde existentes, especialmente o Regulamento Sanitário Internacional, apoiariam tal tratado, garantindo uma base sólida e testada sobre a qual podemos construir e melhorar”.

Clique aqui e confira, no site do CFMV, o documento e seus signatários, em tradução livre para o português, na íntegra.

Fonte: CFMV, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

(Foto: reprodução)

LEIA TAMBÉM:

Perspectiva de animais selvagens é tema de minissérie inédita do Animal Planet

Por unanimidade, Projeto de Lei elaborado em Porto Alegre proíbe corrida de cães

Veterinários lançam livro com foco na elaboração de campanhas de vacinação contra a Raiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Médicos-veterinários pontuam diferenças entre lesão e perda de função renal

Estudo mostra que uso de antimicrobianos na clínica pode ser reduzido até 40%