in ,

OMS reconhece Síndrome de Burnout como doença relacionada ao trabalho

A enfermidade acomete muitos colaboradores que trabalham sobre pressão e pode causar aposentadoria precoce

Uma rotina cansativa, com uma ocupação desgastante pode desencadear a síndrome de Burnout. Recentemente, a síndrome foi reconhecida como doença responsável pelo esgotamento profissional. A enfermidade é causada por um cansaço extremo, que sempre está relacionado ao trabalho.

De acordo com a psicóloga clínica, especialista em Terapia Cognitivo Comportamental e Hipnoterapeuta, Luci Kelly Andrade Cavalcante Takahama, “essa síndrome é desencadeada por excesso de trabalho, grande responsabilidade e pressão constante, o que resulta na exaustão”.

Segundo a especialista, há maneiras de prevenir esse esgotamento, o empregador pode ajudar a tornar o ambiente de trabalho menos propício ao desenvolvimento desse problema por parte dos colaboradores, estudando estratégias, valorizando o profissional, além de ouvi-lo e procurar entender suas queixas.

Caso algum funcionário receba o diagnóstico da doença, a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) deve ser acionada, o colaborador será submetido a avaliações médicas e poderá ser afastado. Caso o problema não seja solucionado ou não apresente melhora, em alguns casos, é possível que haja a conversão em aposentadoria por incapacidade permanente, a famosa aposentadoria por invalidez.

O advogado trabalhista e acidentário, pós-graduado em Direito do Trabalho pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP), Josevaldo Duarte Gueiros, relata que o Brasil é um dos países onde mais morrem trabalhadores por conta de acidentes ou doenças no trabalho. “A síndrome de Burnout foi descrita pela primeira vez na década de 70, mas o seu surgimento antecede a data do seu primeiro registro. No Brasil, desde 1999 já constava na lista do Ministério da Saúde como doença relacionada ao trabalho”, explica.

No entanto, só no início deste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu oficialmente a síndrome como doença relacionada ao trabalho e essa nova classificação já está em vigência desde o dia 1º de janeiro de 2022.

Leia a matéria completa na edição de fevereiro da C&G VF, clicando aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Publicação de artigos científicos durante graduação pode abrir portas no mercado de trabalho

Atenção aos cuidados necessários para evitar pulgas e carrapatos indesejados no verão

Diabetes em cães e gatos é motivo de alerta para os tutores, doença pode ser silenciosa

(Foto: C&G VF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8º prêmio premierpet

Pesquisadores interessados já podem se inscrever no 8° Prêmio de Pesquisa PremieRpet

comemoração dia do gato

Especialista em atendimento felino fala sobre os cuidados necessários com os gatos