in

Otite externa afeta um em cada cinco cães e oferece vários desconfortos ao animal

Balançar a cabeça com mais frequência e coceira na região podem ser sinais do problema

Uma inflamação do canal auditivo que, geralmente, está associada à infecção. Essa é a otite, uma doença bastante comum – afeta um em cada cinco cães – e pode causar uma série de desconfortos, dentre eles, inchaço e dor, que afetam muito a qualidade de vida do animal.

Diversos fatores podem contribuir para o desenvolvimento da otite, como alergias (inclusive alimentares), água dentro da orelha, estrutura do canal auditivo em si (orelhas compridas ou peludas), predisposição da raça, corpo estranho, parasitas no canal da orelha, como carrapato, pulga, que acabam provocando irritação, dentre outros.

O tratamento da otite pode ser longo e estressante tanto para o cão, quanto para o tutor, pois, geralmente, envolve a administração contínua de medicamentos tópicos aplicados diretamente na orelha. Os cães podem se tornar medrosos no momento da aplicação, não permitindo que o medicamento seja administrado corretamente ou pode, até mesmo, machucar seu tutor, pois a dor, muitas vezes, leva à agressividade. Por isso, um tratamento simples e prático contribui para preservar o vínculo entre o tutor e seu pet, garantindo alívio ao desconforto no processo de reabilitação. 

Como identificar? Um cão com otite externa pode apresentar alterações em seu comportamento, como visível desconforto à manipulação das orelhas, não permitindo a aproximação da região, balançar a cabeça com mais frequência, coçar ou podemos, também, notar que o pet tem maior quantidade de cerúmen no canal auditivo. O cerúmen auxilia na proteção do canal ao preservar a umidade e elasticidade da região, porém, em excesso, pode atuar como um fator que contribui para o desenvolvimento de otite ou mesmo ser indicativo de que já existe a doença instalada.

A produção de cerúmen é fisiológica e pode ter coloração acastanhada ou amarelo claro, entretanto, para o diagnóstico de otite, é importante que o tutor converse com um médico veterinário de sua confiança. A consulta é fundamental para que o profissional avalie, identifique a causa e trace um plano de tratamento. Não devemos reconhecer a infecção como causa da otite, pois ela é secundária a fatores que agem facilitando a proliferação de bactérias e fungos, que resultam no agravamento do quadro. Portanto, caso suspeite que seu cão esteja com otite, converse com o médico-veterinário, ele dará todas as informações necessárias, com diagnóstico e tratamento adequado para seu animal. O médico-veterinário conhece as melhores opções e você pode questioná-lo sobre um tratamento mais conveniente e confortável para você e seu melhor amigo. 

Um tratamento simples e prático contribui para preservar o vínculo entre o tutor e seu pet (Foto: reprodução)

Inovação no tratamento. Visando facilitar o tratamento, a Elanco lança, em março, o Neptra, um medicamento inovador que viabiliza o tratamento da otite com uma única dose aplicada pelo médico-veterinário. “Nós, da Elanco, trabalhamos com foco no bem-estar dos animais e tutores. No caso dos pets, entendemos o quanto eles significam para seus tutores, sendo, na maioria das vezes, considerados membros da família. Por isso, oferecer soluções inovadoras que auxiliam no conforto desses animais e na relação que possuem com seus tutores é muito importante para nós. Neptra é uma solução inovadora com aplicação em só uma dose, realizada pelo veterinário. O medicamento já é sucesso em países como Estados Unidos, México e na região europeia. Temos certeza que também será transformador para as famílias brasileiras com cães que sofrem de otite externa”, afirma a publicitária e coordenadora de Marketing na Elanco, Karina Toledo.

Na avaliação de Karina, Neptra confere segurança para o médico-veterinário, garantindo que o tratamento seja realizado corretamente ao oferecer tranquilidade e flexibilidade para o tutor, sem a necessidade de retornos frequentes, nem aplicações em casa devido à comodidade proporcionada pela dose única. Essa inovação é um recurso de primeira escolha e contém antibiótico de amplo espectro, antifúngico e um potente anti-inflamatório para combater a otite externa.

Orientações gerais para o tutor. Consulte um médico-veterinário; é recomendado cuidado com as orelhas ao permitir que seu cão entre na água. Água dentro do canal pode fazer com que ele desenvolva otite; também cuidado ao tocar nas orelhas do animal, pois em casos de otite, a dor é frequente; não limpe as orelhas sem orientação de um profissional; dê muito amor ao pet; 

E, por último, fique tranquilo! “A Medicina Veterinária tem avançado muito e cada vez mais temos acesso a soluções inovadoras, estrategicamente planejadas para descomplicar nossa vida. E lembre-se de que, quando se trata de otite, o tratamento precoce pode ser um fator decisivo na qualidade de vida do seu cão. Uma decisão assertiva é capaz de garantir tranquilidade para você e conforto para o pet”, encerra Karina.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Projetos se destacam no interior de São Paulo por proteger animais e a Mata Atlântica

Estudo defende que tamanho e formato do corpo do cão podem indicar risco de tumor ósseo

CRMV-SP: Chapa Integração é eleita com 63,6% dos votos e assume o regional em agosto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projetos se destacam no interior de São Paulo por proteger animais e a Mata Atlântica

Veterinários apontam o que pode levar cães e gatos a apresentarem Doença Renal Crônica