Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Marketing e Produtos

Pequenos negócios dominam 97% do mercado pet no Rio de Janeiro

Sebrae Rio está com edital aberto para atender 60 empresas do setor
Por Equipe Cães&Gatos
foto-petshop
Por Equipe Cães&Gatos

O mercado pet no Brasil é altamente promissor, especialmente para aqueles interessados em empreender. De acordo com um levantamento realizado pelo Sebrae Rio, atualmente, 97% das 20,2 mil empresas do setor pet no Estado do Rio de Janeiro são pequenos negócios, com 12,6 mil sendo microempreendedores individuais (MEI), 5,9 mil microempresas e 1 mil empresas de pequeno porte. Dentro desse panorama, 38% das empresas estão localizadas na cidade do Rio de Janeiro, 16,5% na Baixada Fluminense e 13% na região Leste Fluminense. No ano anterior, 3,4 mil empresas do setor foram inauguradas no Estado, representando um crescimento de 7,6% em comparação com 2022. 

Durante a pandemia de Covid-19, houve aumento na adoção de pets e crescimento na demanda por produtos e serviços (Foto: reprodução)

Durante a pandemia de Covid-19, no ano de 2020, houve aumento na adoção de animais de estimação e, consequentemente, crescimento na demanda por produtos e serviços especializados. De acordo com o Sebrae, há perspectiva de crescimento de 87% no mercado pet até o ano de 2026 e há boas oportunidades no segmento. 

Pensando em desenvolver os empreendedores da área, o Sebrae Rio abriu edital para 60 empresas do segmento pet/vet. As inscrições podem ser feitas até dia 29 de março de 2024.

Para participar, é preciso ter empresa do mercado pet/vet (com exceção de adoção de animais domésticos e atividades de criação de animais para venda); ter cadastro válido no CNPJ; estar enquadrada como microempreendedor individual (MEI), microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte (EPP); ter faturamento anual até 4,8 milhões reais e ter sede ou filial na Região Metropolitana (cidade do Rio de Janeiro, Leste Fluminense ou na Baixada Fluminense). 

Hoje, há muitas novidades neste segmento, como as padarias pet, cemitérios e crematórios para os bichos de estimação, além de creche, plano de saúde, turismo pet e até clube de assinatura em petshops. “A capacitação e a implementação de estratégias de encantamento e na experiência positiva para os pets criam uma conexão emocional e de fidelização dos tutores com os negócios e isso é determinante para o sucesso neste segmento”, orienta a analista de Comércio e Serviços do Sebrae Rio, Poliana Valente.

O Projeto Mercado Pet tem subsídio de 91% do Sebrae Rio e o empreendedor fará o pagamento de R$ 600, que podem ser parcelados em até 12X sem juros no cartão de crédito. Durante oito meses, haverá capacitação e consultoria para aprimorar a gestão das empresas participantes (petshop, petsitter – profissional que cuida do animal no local onde ele vive –, e veterinário), aumentar o faturamento, reduzir custos e otimizar os recursos. Além disso, haverá ações de mercado, networking e eventos estratégicos para as empresas participantes.

Fonte: Sebrae Rio, adaptado pela equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:

Obesidade reduz em até dois anos a expectativa de vida dos pets

Veterinários se desafiam ao dar o prognóstico de um pet oncológico para o tutor

O que a lei diz sobre o transporte de animais em veículos?