in

PETISCOS OU BRINQUEDOS DUROS PODEM CAUSAR FRATURAS DENTÁRIAS NO PET

Tutor precisa estar atento ao que pode ocasionar o problema no cão

Os cães utilizam a boca para explorar o mundo, mantendo-os ativos e diminuindo o estresse. No entanto, uma recente pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina Veterinária, da Universidade da Pensilvânia, com apoio da Mars Petcare, identificou que cerca de 27% dos cães têm fraturas dentárias, geralmente em dentes funcionalmente importantes e esses episódios estão diretamente relacionados aos brinquedos e petiscos disponíveis no mercado. 

A mastigação é algo inerente à espécie canina, o que pode acabar dando a falsa impressão de que os dentes dos cães são indestrutíveis. A verdade é que o esmalte de um dente canino é seis vezes mais fino que de um humano e os nervos estão mais próximos da superfície, causando maior sensibilidade. Atualmente, um em cada quatro cães tem dentes fraturados em decorrência de mastigar produtos muito rígidos. 

A veterinária britânica especialista em Odontologia e membro da European Veterinary Dental College, Lisa Milella, reforça, ainda, que, ao contrário de muitas fraturas comuns em humanos, lascas e fraturas nos dentes dos cães podem causar dor extrema, infecção e diminuição do apetite, uma vez que os nervos dos seus dentes ficam mais expostos. 

O estudo comprovou, também, que a mandíbula de um cão tem força suficiente para quebrar os dentes ao mastigar produtos muito rígidos. Isso significa que, mesmo que alguns cães consigam roer e morder brinquedos e alimentos com essa característica, existe um grande potencial de danificação dos dentes, considerando a imensa força que eles aplicam na mastigação. 

Apesar da importância do assunto, metade dos tutores dos cães participantes da pesquisa não conseguiram identificar fraturas dentárias em seus pets. Isso mostra a necessidade que ainda existe de aprendizado e conscientização dos tutores sobre a rigidez de petiscos e brinquedos voltados para a mastigação dos cães. Pensando nisso, a Mars Petcare elencou três dicas valiosas para os tutores estarem atentos ao assunto e protegerem os dentes de seus cães. 

Segundo a companhia, é preciso ficar de olho na mastigação, principalmente com itens que o animal encontra e coloca na boca por curiosidade, como pedrinhas na rua ou no parque. Outra dica é seguir a lógica: se achar que é muito rígido, provavelmente é. “Quando oferecer ao cão algo para mastigar, imagine-se dando uma mordida forte naquele petisco ou brinquedo. Se sentir aflição ao pensar nisso, então, provavelmente, o item é muito rígido para o cão”, reforça a empresa. 

Por último, é essencial consultar sempre o médico-veterinário se o tutor não tiver certeza se um produto – petisco ou brinquedo – é muito rígido. O profissional irá passar as orientações sobre o que é seguro para o pet.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PREMIERPET LANÇA RAÇÃO PARA TRATAR DISTÚRBIOS GASTROINTESTINAIS DE CÃES

FRATURAS DENTÁRIAS INTERFERE NA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DOS PETS