Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Pets pequenos são mais agressivos? Veterinários explicam

“Baixinhos” são fortemente influenciados pelo ambiente onde vivem
Por Equipe Cães&Gatos
Colorful clothes on tiny cute chihuahua walking on a leash in the street
Por Equipe Cães&Gatos

É muito comum ouvir que quanto menor o cachorro, mais bravo ele é. Segundo alguns especialistas, este comportamento pode ter várias origens. O veterinário Reynaldo Landgraf, por exemplo, explica que os cães são animais de matilhas e precisam de uma hierarquia para viverem felizes e em harmonia. 

Por tal motivo, eles não devem ser humanizados, como usar roupas e acessórios de humanos. “Quando a humanização ocorre, há alteração de comportamento, medo, agressividade, destruição dos móveis da casa e por aí vai. O melhor tratamento que você pode dar ao seu pet com alterações comportamentais é muito estudo, conhecimento do comportamento da espécie e entender a função de cada raça”, explica o profissional.

Funny dog unhappy about working out
Humanização do animal tem impacto em seu comportamento (Foto: reprodução)

Conforme acrescenta o médico-veterinário Luis Augusto Barros, é a partir da hierarquização da casa que o animal formará sua personalidade. Se o pet desenvolver comportamentos impulsivos, poderá rosnar ou latir diante de situações que saem da sua rotina, ou até mesmo, ao encontrar com outros pets e humanos, já que estarão em uma disputa por território ou alimento.

Ainda segundo Reynaldo, a falta de contato com a natureza é um fator importante para a definição de personalidades e comportamentos dos pets. “Se os ‘pequeninos’ passam muito tempo do cotidiano em colos ou bolsas, poderão precisar de uma intervenção comportamental, já que poderão desenvolver carência ou insegurança no cotidiano. Alguns tutores não costumam expor os pets ao sol, banhos de chuva, corridas na terra ou na grama”, reforça.

Além disso, Luis acrescenta que com relação aos cães, algumas raças podem ter o temperamento mais ostensivo que outras, como chihuahuas ou pinschers, porém, cada pet é único e o seu comportamento é fortemente influenciado pelo meio externo.

Como corrigir

De acordo com os especialistas, esses pequenos “valentões” podem ser disciplinados com ações básicas, como a castração, ou tratamento com acupuntura.

“Atos simples, como entrar num cômodo da casa antes dos pets, sempre comer primeiro e depois alimentar os pets, ao passear na rua, não deixar o pet puxar a guia e te levar para onde ele quer achando que ele é o líder. Algo simples pode confundir a cabeça do pet, achando que ele é o ‘alfa’ da matilha dele, sua família, induzindo ao comportamento agressivo e destrutivo”, explica Reynaldo.

No caso dos cães, aqueles que não são castrados possuem influência hormonal no comportamento e a melhor solução pode ser a castração na idade adequada, acrescenta o veterinário Luis.

Fonte: G1, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dia dos Animais: quais os principais cuidados que devemos ter com os pets em casa?

Tutores têm dificuldade de reconhecer sinais de estresse em cães

Estudos mostram ligação entre saúde mental e convívio com pets

Compartilhe este artigo agora no