Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Pote de água de pets pode abrigar o mosquito transmissor da dengue

Profissionais explicam como fazer a limpeza para evitar proliferação
Por Equipe Cães&Gatos
foto-bebedouro
Por Equipe Cães&Gatos

Para prevenir a propagação do Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue, muitas precauções são amplamente reconhecidas e adotadas, como evitar o acúmulo de água em pneus, vasos e calhas, e assegurar a limpeza regular de caixas d’água, além de manter as piscinas adequadamente tratadas. No entanto, é essencial destacar outras medidas igualmente importantes, especialmente para aqueles que têm animais de estimação em casa.

É imprescindível manter os potes de água dos pets sempre limpos e higienizados. Esses recipientes podem se tornar locais propícios para a reprodução do mosquito, contribuindo para a disseminação da dengue e outras doenças transmitidas por ele.

Segundo o infectologista e professor do curso de Medicina do UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Recife, campus Boa Viagem, Moacir Jucá, a água parada nos potes de cães e gatos pode ser um ambiente foco do mosquito da dengue. “Não é uma ocorrência comum, porém é possível, especialmente nos potinhos que ficam expostos ao ar livre por longos períodos. diante disso, é importante que os proprietários estejam cientes desse risco e adotem medidas para eliminar qualquer possibilidade de proliferação do Aedes aegypti em suas casas”, explica.

É recomendado limpar os potes de água uma vez por semana com uma solução de água e vinagre ou água sanitária diluída (Foto: reprodução)

Por outro lado, o especialista explica que é mais difícil os recipientes de água serem focos da dengue se eles forem limpos diariamente de maneira adequada. O ideal é lavar os potes de água dos animais diariamente com água e sabão, removendo qualquer resíduo de comida ou sujeira utilizando esponjas, como também trocar a água dos potes pelo menos uma vez por dia para garantir que esteja fresca e limpa.

“Realizar uma limpeza mais profunda dos potes pelo menos uma vez por semana, utilizando uma solução de água e vinagre ou água sanitária diluída. Secar completamente as vasilhas após a limpeza para evitar o acúmulo de umidade, que pode favorecer o crescimento de microrganismos”, ressalta Jucá

A grande preocupação é a água parada, especialmente quando entra em contato com matéria orgânica, como pratinhos de vasos ou áreas que possam acumular água, como muros. “Nesses casos, é possível aplicar algumas gotas de hipoclorito para tratar a água presente nos vasos das plantas e limpá-los diariamente, removendo essa matéria orgânica. Além disso, repelentes também são eficazes para prevenir a picada do mosquito da dengue. Para isso, os mais indicados são os à base de Icaridina, IR3535 e DEET”, completa o professor.

“Além disso, os potes de água dos animais também podem ser um ambiente favorável para o desenvolvimento de bactérias e outros microrganismos que podem afetar a saúde dos nossos pets. O líquido fresco e limpo é essencial para a saúde dos nossos pets, e a higiene dos recipientes desempenha um papel crucial nisso”, finaliza, a veterinária e coordenadora do curso de Medicina Veterinária da UNINASSAU Recife, campus Graças, Priscila Leite.

Fonte: UNINASSAU, adaptado pela equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:

Obesidade reduz em até dois anos a expectativa de vida dos pets

Veterinários se desafiam ao dar o prognóstico de um pet oncológico para o tutor

O que a lei diz sobre o transporte de animais em veículos?