Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Prática secular trata pets por meio das cores

Cromoterapia é aprovada pela Organização Mundial da Saúde
Por Equipe Cães&Gatos
Por Equipe Cães&Gatos

Adotada pelos egípcios, hindus, chineses e gregos há séculos, a cromoterapia é uma prática ancestral que foi aprovada pela Organização Mundial da Saúde em 1976. Após ser reconhecida pela Medicina Veterinária Integrativa, pôde ser utilizada no tratamento de transtornos físicos, emocionais e comportamentais dos pets.

- PUBLICIDADE -

A prática também é indicada para prevenir problemas futuros de saúde e manter o animal saudável. Conforme explica a médica-veterinária e sócia do Hospital Veterinário Siriuz, Dra. Karen Collacico Andrade, a cromoterapia é a influência das cores por meio das vibrações que elas emitem, utilizando o instinto do animal com a vibração energética de cada cor.

“Ela tem influência no quadro do animal e é indicada para vários tratamentos, como acalmar um animal estressado, proporcionar um ambiente que ele goste de ficar durante a visita ao veterinário, resultando nas melhores respostas aos tratamentos”, conta.

Karen Collacico utiliza a cromoterapia em seu dia a dia no hospital (Foto: divulgação)

Por ficarem muito tempo sozinhos, muitos animais podem ser diagnosticados com medo, ansiedade, compulsões por lambedura e até mesmo depressão, que podem ser causadas por uma rotina estressante ou monótona, por traumas, violência ou a perda de um tutor com o qual o animal convivia. Em casos como esses, a prática da cromoterapia é indicada e pode ser realizada em banhos, ou, dependendo do ambiente, até mesmo na consulta ao veterinário. 

“Os benefícios da cromoterapia são inúmeros, principalmente quando o animal está muito estressado. Ela controla o emocional, influencia na melhora imunológica, no relaxamento físico e mental, é indicada para acelerar recuperação de pós operatório, auxilia em tratamento de lesões, doenças, depressão, ansiedade, e ajuda a reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia e de terapias intensas”, complementa a veterinária.

A influência das cores

Diferente do que muitos pensam, os animais conseguem, sim, enxergar algumas cores. “Os humanos têm mais variedade para enxergar as cores, mas os animais também conseguem ver algumas”, conta Karen, acrescentando: “Os cães enxergam amarelo, azul e tons de cinza, e os gatos conseguem ver o amarelo, azul e o verde; ambos conseguem enxergar bem melhor no escuro, pois possuem na visão bastonetes que facilitam a visão em ambientes com baixa luminosidade”.

Na cromoterapia, cada cor tem um benefício. O cientista alemão Johann Wolfgang Von Goethe descobriu, no século 18, que cada tom de cor pode ser utilizado para um tratamento específico.

O azul, por exemplo, é indicado para ansiedade, estresse e nervosismo; já o violeta, fortalece o sistema imune e ajuda a tratar medos, fobias, traumas e cansaço; o verde, é indicado para tratamentos de dores em geral e problemas respiratórios; o amarelo, é aconselhado para o tratamento de má digestão e úlceras; o vermelho, para depressão e anemias; já o laranja, auxilia no tratamento de depressão, fases de adaptação por perda ou introdução de um animal novo.

Assim como todo tratamento, o uso das cores também tem ressalvas. Por isso, é recomendado sempre consultar um veterinário com o qual o pet se sinta confortável e que seja da confiança do tutor.

Fonte: Hospital Veterinário Siriuz, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dicas ajudam a se aproximar de um cachorro desconhecido

Cães e gatos podem contrair febre maculosa

Cão é adotado e se torna parte de equipe hospitalar em SP

Compartilhe este artigo agora no