Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Marketing e Produtos, Destaques

PremieRpet abre as portas de sua nova fábrica a parceiros e formadores de opinião

Por Equipe Cães&Gatos
premierpet
Por Equipe Cães&Gatos

Cláudia Guimarães, de Porto Amazonas (PR)

claudia@ciasullieditores.com.br

Dizem que a primeira impressão é a que fica e, ao visitar a nova fábrica da PremieRpet, em Porto Amazonas, no Paraná, a reação deve ser unânime para todos que conhecem a estrutura de perto: é gigante, moderna e diferente do que o mercado pet está acostumado. Já que o objetivo é crescer, ainda mais, há espaço e dedicação de sobra para isso!

No dia 22 de setembro, a equipe da C&G VF, juntamente com lojistas do canal especializado, distribuidores, médicos-veterinários, criadores, acadêmicos, membros de associações do setor e outros convidados, pôde conhecer a nova instalação da empresa, inaugurada em junho deste ano e que já está com duas linhas de produção operando e a terceira em fase de montagem.

Mas, antes de falarmos desse novo polo industrial, que ainda está com a tinta fresca, é importante destacar que a PremieRpet inaugurou seu primeiro complexo fabril em 1995, em Dourado (SP), e lançou os primeiros produtos no mercado em 1997, após dois anos de pesquisas. A diretora de Planejamento Estratégico e Marketing Corporativo da PremieRpet, Madalena Spinazzola, declara que a unidade do interior de São Paulo é completa, pois recebeu muitos aprimoramentos ao longo dos anos. Mas nada como construir uma fábrica nova do zero, com toda a experiência de gestão e produção adquirida ao longo desses anos.

Nova unidade incorpora conceitos da indústria 4.0, com a tecnologia mais moderna do mundo na fabricação de produtos de altíssima qualidade para cães e gatos
(Foto: divulgação)

Assim, Madalena afirma que a unidade Porto Amazonas é igual, mas diferente: “Podemos dizer que é igual no cuidado e na qualidade. O mesmo produto que sai aqui, sai lá em Dourado, mas com um processo de produção que nasceu de forma diferente”, compartilha.

A profissional, que está há 21 anos na empresa, conta que a divisão de linhas de produtos entre as duas fábricas será pensada estrategicamente, de acordo com a demanda do mercado local, do processo de reabastecimento do mercado, entre outros fatores.

Quando questionada se a empresa esperava chegar no patamar em que se encontra hoje, com essa nova planta, que é o maior e mais tecnológico polo industrial de pet food da América Latina, Madalena afirma que existem muitas pessoas visionárias dentro da PremieRpet. “A tecnologia mudou, o mercado mudou muito, até os tutores mudaram. Nossa meta sempre foi ser a marca escolhida pelos tutores para qualquer momento da vida deles com seus pets. Então, essa relação de amor era o que desejávamos desde sempre. A estrutura física é resultado de uma visão de negócios porque nascemos com o objetivo de sermos líderes de mercado”, revela.

Um ponto importante para que a empresa conquistasse seu espaço é o fato de ser uma empresa 100% brasileira e conhecer profundamente as diferenças do nosso mercado para outros mercados, como o mercado americano. “A mesma coisa em relação ao comportamento e exigência do consumidor e à dispersão geográfica de pontos de venda. A indústria que conhece toda essa especificidade é a indústria nacional. Somos uma indústria pet food 24 horas por dia, sete dias por semana, e isso traz uma profundidade e uma velocidade muito diferente de qualquer outra indústria”, avalia.

Evoluindo juntos

Madalena reforça que a PremieRpet trabalha apenas com canal especializado desde a sua fundação, nutrindo uma parceria sólida. “A PremieRpet não vende nem tem marcas diferentes para o autosserviço. Somos parceiros do canal especializado, investimos e acreditamos no valor agregado desse canal, desde sempre”, destaca.

Além de todo o mérito da PremieRpet em estar onde está hoje, na liderança do segmento de alimentos de alta qualidade para animais de companhia, a busca dos tutores por informações e produtos de qualidade também é de grande valia, na visão de Madalena.  “Os tutores também estão aprendendo muito. Quando o mercado cresce, a informação se dissemina pelas empresas sérias e o tutor busca por essas informações. Então, ele se comporta conforme ele está mais informado, conforme seu poder aquisitivo, a região onde mora etc. Nós crescemos junto com ele, sabemos quem é o tutor que busca um produto específico, algo mais natural, uma opção coadjuvante, e nos preparamos para responder ao que as pessoas precisam”, argumenta.

O consumidor, como comentado pela executiva, puxa essa cadeia de crescimento do mercado, sendo mais exigente, demandando produtos de alta qualidade, com informações claras na embalagem sobre os ingredientes e o processo de produção, e pedindo informação para os formadores de opinião. “Mas só isso não basta, a empresa também tem que ser visionária e, às vezes, se lançar em produtos e em mercados que, nem sempre, o consumidor imagina. São dois caminhos de crescimento simultâneos e fazemos muito bem os dois. Em produtos naturais, por exemplo, a PremieRpet se lançou antes, até mesmo, do consumidor estar tão preocupado com isso para o seu pet. A mesma coisa com a questão das raças específicas. Se a gente não indicasse que existia a possibilidade de haver um produto para uma raça, o consumidor não iria saber também. Assim, coexistem a pesquisa e desenvolvimento que a própria empresa faz e vislumbra, puxando o consumidor, e existe o crescimento que ele mesmo traz, com suas exigências e comportamentos. Também temos que lembrar que o mercado não é linear, é um sistema que funciona e, no caso da PremieRpet, funciona muito bem e na velocidade certa. Muitas empresas buscam as coisas mais fáceis e rápidas, acelerando esse percurso, mas acabam tropeçando, enquanto nós sabemos, exatamente, o passo que temos que dar a cada momento”.

No dia 22 de setembro, lojistas do canal especializado, distribuidores, médicos-veterinários, criadores, acadêmicos, membros de associações do setor e outros convidados visitaram as instalações da nova fábrica da PremieRpet
(Foto: divulgação)

Ver com os próprios olhos

Já que esse polo industrial tem tamanha proporção, a novidade não poderia ficar apenas na imaginação das pessoas. Ver por fotos e folhetos que a capacidade da nova fábrica da PremieRpet é grande ainda não era o bastante. Por isso, surgiu a ideia de convidar alguns parceiros para terem a experiência de visitação. “Como se materializa para nós, nos deixando extremamente orgulhosos, gostaríamos de compartilhar com mais pessoas. Conhecer a estrutura física é uma bandeira muito forte para mostrar ao mercado quem nós somos. Essa experiência compartilhada, nesse momento, é única, é a oportunidade de nossos parceiros constatarem que nós não estamos falando, estamos fazendo”, comprova.

Emocionada, Madalena assegura que ver a dimensão da fábrica, a qualidade e segurança dos processos é mais potente do que qualquer mídia, do que qualquer grito que a empresa pudesse dar no mercado. “E me emociono porque isso faz parte de muita história, muita conquista e muita verdade, que é o que colocamos na assinatura de nosso logo. Acreditamos, de verdade, em tudo isso. Ninguém estaria aqui, com essa energia, se não acreditássemos na empresa. A sensação de bem-estar faz sentido com o trabalho árduo de quem está montando, com o empenho da equipe de produção, e esse ‘fazer sentido’ é essa energia que paira hoje, aqui, e que muita gente percebeu e veio comentar”, destaca.

Pensar no bem-estar dos colaboradores também é algo prioritário para a PremieRpet desde a fundação da empresa. Na fábrica de Dourado, por exemplo, Madalena lembra que o restaurante teve que ser construído quando a companhia atingiu um número determinado de funcionários. “Aqui em Porto Amazonas, já tem a estrutura. Lá, com a fábrica pronta, construímos a sala de jogos, aqui, ela já nasceu com esse espaço, o que significa que o que fizemos e aprendemos em Dourado ficou em nós e replicamos aqui de uma maneira melhor. A preocupação com os colaboradores é genuína, nas mínimas coisas, pois não podemos exigir resultado de trabalho se não fizermos nossa parte, e somos bem conscientes da nossa parte social. Se não olharmos com olhar de comunidade para os próprios colaboradores, qual o sentido de fazer isso da porta para fora?”, indaga.

Além da questão social, a PremieRpet prima por questões ligadas à sustentabilidade. “Desde a criação da primeira fábrica, nossa caldeira funciona com energia do cavaco, que era colhido na nossa própria plantação de eucalipto. Isso foi melhorando ao longo do tempo, com as placas de energia solar, com as lagoas para captação de água da chuva e tudo foi incorporado aqui na nova planta. Ela já foi planejada para ser uma edificação sustentável e receber o selo LEED, o que mostra a visão profunda da empresa em relação ao tema, mais um dos pilares que a gente tem de verdade para a PremieRpet e que a gente vem reforçando ao longo dos anos”.

Estrutura

Madalena Spinazzola é a diretora de Planejamento Estratégico e Marketing Corporativo da PremieRpet e faz parte do time da empresa há 21 anos
(Foto: C&G VF)

Madalena ressalta que a inauguração da nova fábrica fortalece a liderança da PremieRpet no mercado de alimentos naturais para cães e gatos no Brasil. “Já somos reconhecidos no mercado pelo nosso pioneirismo e foco na inovação constante e, agora, estamos crescendo ainda mais. Essa nova fábrica vem para catapultar esse crescimento para níveis sem precedentes e, de fato, marca uma curva de inflexão na história da nossa empresa. Queremos seguir nos desenvolvendo de forma sustentável, mudando o referencial do mercado, sempre com a seriedade, qualidade, segurança e o respeito que nossos clientes pets merecem”, finaliza.

Vale lembrar que a nova unidade incorpora conceitos da indústria 4.0, com a tecnologia mais moderna do mundo na fabricação de produtos de altíssima qualidade para cães e gatos. Buscando o que há de melhor e mais avançado em termos de tecnologia nutricional, a PremieRpet importou os melhores maquinários e tecnologias de diversos países, como Alemanha, Japão, EUA, Itália, Canadá, Dinamarca, entre outros. 

Conforme mencionado por Madalena, a nova fábrica de Porto Amazonas agrega aplicações de automatização em novas fases do processo produtivo, por exemplo, o armazém inteligente que conta com transelevadores e oferece rastreabilidade dos produtos, balanças de alta precisão para os ingredientes e laboratório de análises. Toda essa tecnologia, segundo ela, se reflete diretamente nos diferenciais de inovação, produção e na segurança alimentar que a PremieRpet garante ao consumidor para nutrir com excelência os animais de estimação em todas as fases da vida.

A localização de Porto Amazonas (PR) também faz parte da estratégia da empresa, em termos de matéria-prima, logística e infraestrutura. A fábrica fica próxima de fornecedores de proteína e grãos, grandes centros consumidores, malhas rodoviárias e ferroviárias importantes e fácil acesso a áreas portuárias.

“Posso dizer que somos como uma banda que toca aquele hit de sucesso há anos com a empolgação do primeiro dia e ao mesmo tempo faz um show completamente diferente e melhor, melhor e ainda melhor a cada nova apresentação. Somos obstinados e absolutamente incansáveis! O tempo só nos ajuda a colecionar expertise para inovar e continuar… cada vez melhores”

Diretora de Planejamento Estratégico e Marketing Corporativo da PremieRpet, Madalena Spinazzola

Compartilhe este artigo agora no