in

Profissionais comentam sobre especialidade Medicina Veterinária do Coletivo (MVC)

Recentemente reconhecida pelo CFMV, área busca uma integração de diversos conhecimentos dentro da Veterinária e funciona como um elo com a saúde humana e o meio ambiente

Uma especialidade da Medicina Veterinária que vê o todo. Essa é uma definição simples para a Medicina Veterinária do Coletivo (MVC), mas que a torna possível de ser compreendida por profissionais e leigos.  

A médica-veterinária, doutoranda em Ciências veterinária pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e embaixadora do Instituto de Medicina Veterinária do Coletivo (IMVC), Yasmin da Silva Gonçalves da Rocha, conta que a MVC foi,  recentemente, reconhecida como uma nova especialidade da Medicina Veterinária, e é caracterizada como uma área multidisciplinar, interprofissional e intersetorial, que busca promover saúde e bem-estar dos indivíduos, famílias, comunidades e entornos, considerando os animais como parte integrante e indissociável dessas representações por meio da aplicação de conceitos e práticas da Saúde Única.  

“Essa área integra conhecimentos da Saúde Coletiva, Medicina de Abrigos, Medicina Veterinária Legal, Medicina de Desastres e Medicina Veterinária Social no desenvolvimento de abordagens estratégicas para lidar com as mudanças sócio-político-econômicas responsáveis por situações de extremas iniquidades sociais com um olhar único para o entendimento dessas situações e de como enfrentá-las”, explica.  

A professora da UFPR e coordenadora executiva do IMVC, Rita de Cássia Garcia, explica que a MVC é uma área da Medicina Veterinária com atuação social, por meio da estratégia de Saúde Única.  

“Trata das demandas sociais que dizem respeito às interações humano, animais e meio ambiente. Ela traz uma nova abordagem para a profissão, com um olhar holístico, trabalhando com outros profissionais (por exemplo, do serviço social, psicólogos, enfermeiros etc.) e com diferentes setores da sociedade (público, privado e terceiro setor) de forma a promover a saúde dos indivíduos, famílias e comunidades por meio do bem-estar único. Não somente promover a saúde, mas acolher essas pessoas e seus animais, entender as dinâmicas familiares, as relações com seus animais e também com o entorno, para buscar atender as suas demandas (humanas e animais) junto com outros profissionais e programas já existentes, otimizando o trabalho, mas o tornando resolutivo”, afirma. 

Para saber mais sobre essa especialidade acesse, gratuitamente, a edição de julho da C&G VF. Clique aqui!

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinários explicam os tipos de técnicas anestésicas para animais de companhia

Pesquisadores visam novas ferramentas de diagnóstico para câncer de mama em cães

Setor pet brasileiro cria 2,83 milhões de empregos e ultrapassa 285 mil empresas


 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Exportação Vergonha

Mercy For Animals lança documentário sobre exportação de animais vivos no Brasil

pet shop

Estudo mostra que tutores de cães gastam o dobro do que os de gatos por mês