Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Destaques, Clínica e Nutrição

Quais os principais problemas oculares que afetam os pets?

Veterinário que atua em Oftalmologia destaca a importância dos animais serem consultados e tratados por um especialista
Por Equipe Cães&Gatos
olhos cão
Por Equipe Cães&Gatos

Cláudia Guimarães, da redação

- PUBLICIDADE -

claudia@ciasullieditores.com.br

Quem tem cão ou gato em casa sabe: hora ou outra surge um probleminha de saúde e, então, além das consultas de rotina, chega o momento de levar o pet à clínica por conta de uma intercorrência pontual. Mas, será que um clínico de pequenos animais está totalmente apto para atender um paciente, por exemplo, com uma emergência oftalmológica?

De acordo com o médico-veterinário oftalmologista do Hospital PetCare, Eduardo Perlmann, os animais de estimação, frequentemente, apresentam problemas nos olhos, como úlcera na córnea, que pode causar muito desconforto; olho seco, que gera muita secreção ocular; e catarata, que pode levar à cegueira, entre outros problemas observados na rotina. 

Ele menciona que também é bastante comum, brincando com o cão ou gato da mesma casa, o pet machucar os olhos. “O mais corriqueiro é machucar a córnea. Nesse caso, o olho fica sensível e o pet tem dificuldade em abri-lo. O ideal é já colocar o colar elisabetano, pois é provável que o animal tente coçar o olho E, então, para evitar piora do quadro e até contaminação, é importante levá-lo para o oftalmologista examinar”, recomenda.

Isso porque esses quadros, quando graves, podem levar à perda da visão. “Então, sempre é bom o oftalmologista examinar esse olho, de preferência, no mesmo dia do ocorrido. Também existem outras alterações comuns que podem causar cegueira, como a catarata, mas esses não são de caráter urgente e podem ser revertidos por cirurgia. Geralmente, são olhos que começam a ficar mais opacos progressivamente, mas sem sinais de desconforto”, compara.

O veterinário oftalmologista pode identificar até pequenas alterações nos olhos e orientar os tutores quanto à gravidade, cronicidade e tratamento a longo prazo (Foto: reprodução)

Visão pela visão do oftalmologista

Mas, se o animal não apresentar nenhuma doença ocular, Perlmann afirma que a visão pode se manter boa, até mesmo, em uma idade avançada, mesmo apresentando opacidade ocular, que pode indicar apenas envelhecimento da lente dentro do olho e não catarata. “O oftalmologista pode, facilmente, diferenciar os dois. O problema é que animais mais velhos, muitas vezes, têm problemas oculares no decorrer da vida, como catarata em estágios mais iniciais ou olho seco, que não são devidamente tratados, virando uma doença crônica, o que piora a visão quando a idade está mais avançada. O ideal é ir ao veterinário sempre que surgir alguma alteração no olho, pois pode ser algo importante no futuro”, destaca.

De acordo com o profissional, o médico-veterinário oftalmologista pode identificar até pequenas alterações nos olhos e orientar os tutores quanto à gravidade, cronicidade e tratamento a longo prazo. “Estamos equipados com instrumentos que não são utilizados na rotina do veterinário clínico e, sem eles, muitas vezes, uma lesão ocular séria pode passar despercebida.  

Apesar disso, Perlmann salienta que a parceria do médico-veterinário que atua em Oftalmologia com o clínico é muito importante. “O clínico é o que mais conhece o pet e, muitas vezes, cuida dele desde filhote. Ele está capacitado para tratar casos de menor complexidade, mas o olho é um órgão complexo e, frequentemente, as lesões evoluem rapidamente, daí a importância do pet ser examinado e tratado por um profissional especializado”, finaliza.

Compartilhe este artigo agora no