Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Quando é necessário um adestrador para o meu pet?

Mau comportamento é uma das principais causas de abandono no Brasil
Por Equipe Cães&Gatos
foto-adestrador
Por Equipe Cães&Gatos

Quando decidimos adotar um animal de estimação, nos confrontamos com a incerteza dos traumas que nossos novos companheiros possam ter vivenciado, especialmente aqueles que foram vítimas de maus-tratos. Assim, identificar o momento apropriado para buscar ajuda profissional é crucial para assegurar uma convivência harmoniosa entre os integrantes da família e nossos queridos amigos de quatro patas.

Estatísticas revelam que o mau comportamento dos animais é uma das principais causas de abandono no País. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), somente no ano de 2022, cerca de 30 milhões de animais foram abandonados nas ruas do Brasil, entre estes, 10 milhões são gatos e 20 milhões, cães. 

Mordidas, rosnados ou outros comportamentos agressivos podem ser melhorados com a ajuda de um adestrador (Foto: reprodução)

A busca por um adestrador qualificado é importante para identificar a raiz do problema e assim desenvolver um plano de treinamento personalizado e ajudar a modificar esses comportamentos indesejados e até mesmo distúrbios emocionais, melhorando a comunicação e fortalecendo o vínculo entre tutor e pet. Por isso, Aline Lex, CEO da zazuu, startup que oferece serviços de saúde e bem-estar animal em pet trucks a domicílio e on-line, aponta alguns sinais apresentados suficientes para ligar o sinal de alerta. Confira:

  • Comportamentos destrutivos: Destruir móveis, objetos ou mesmo se machucar podem ser sinais de que ele está entediado, ansioso ou com problemas emocionais e que precisam ser abordados por um profissional. 
  • Ansiedade de separação: Se o seu pet fica excessivamente ansioso quando você sai de casa, isso pode resultar em comportamentos destrutivos, vocalização excessiva ou até mesmo auto trauma. 
  • Problemas de aprendizagem: Se o seu animal de estimação parece ter dificuldades em aprender comandos básicos ou se recusa a obedecer, é necessário um atendimento comportamental.
  • Hábitos higiênicos inadequados: Fazer as necessidades  dentro de casa, fora da caixa de areia ou local designado para isso pode indicar problemas de comportamento ou até mesmo de saúde.
  • Agressão: Mordidas, rosnados ou outros comportamentos agressivos em direção a pessoas, outros animais ou objetos podem indicar problemas de socialização, medo ou insegurança. Esse é o momento de ligar o sinal de alerta e buscar ajuda profissional.
  • Comportamento compulsivo: Lambedura excessiva, ingestão de materiais que não são comida ou outros comportamentos repetitivos podem indicar estresse ou ansiedade.
  • Fobia a ruídos ou situações específicas: Demonstrar medo excessivo de barulhos altos, tempestades, fogos de artifício, pessoas desconhecidas ou outras situações específicas é um sinal de que é o momento de procurar um  treinamento para ajudá-lo a superar esses medos.

Fonte: Zazzu, adaptado pela equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:

Veterinária destaca a importância da vermifugação para a saúde dos pets

Comportamentalista animal mostra como ter uma boa convivência com o pet

Veterinária alerta sobre os riscos por com o calor extremo aos pets