Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Destaques, Marketing e Produtos

Quantidade de alimento fornecida aos animais deve ser estabelecida por veterinários

Por Equipe Cães&Gatos
colocando ração
Por Equipe Cães&Gatos

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

A obesidade é a doença caracterizada pelo excesso de gordura corporal decorrente do desequilíbrio entre o consumo e o gasto energético que resulta em balanço energético positivo. Ela é considerada a doença nutricional mais frequente na clínica de pequenos animais, podendo reduzir a expectativa e a qualidade de vida de cães e gatos.

De acordo com a médica-veterinária e Professional Consulting Veterinarian da Hill’s Pet Nutrition, Rosandra Colpani do Nascimento, a causa da obesidade é multifatorial. “Podemos citar como alguns fatores desencadeadores a interação do animal com o tutor; a castração, que pode aumentar os riscos à obesidade, uma vez que pode tornar os animais menos ativos; e os hormônios sexuais, principalmente o estrogênio, que possui efeitos diretos e indiretos no centro de saciedade e no metabolismo celular”, elenca.

Outro fator, segundo Rosandra, é o tipo de alimento e como este é fornecido, pois o aumento no mercado petfood de alimentos de alta energia e palatabilidade, com fornecimento “ad libitum”, dificulta o controle da quantidade ingerida. “Além disso, a predisposição racial também é um fator importante, algumas raças apresentam maior risco de obesidade, a idade e nível de atividade física devem ser levados em consideração, pois, com o avanço da idade, há redução na taxa metabólica e os animais se tornam menos ativos, o que gera mais chance de ganho de peso”, alerta.

Especificamente nos felinos domésticos, a profissional afirma que um animal com sobrepeso pode desenvolver mais problemas de saúde do que outro da mesma raça com condição corporal ideal. “Doenças como diabetes, resistência insulínica, lipidose hepática, dislipidemia, DTUIF ou alterações ortopédicas são mais comuns em gatos obesos”, lista.

Sendo assim, embora os gatos tenham o comportamento de realizar várias pequenas refeições ao longo do dia, Rosandra afirma que não é recomendado deixar a ração sempre à disposição. “A quantidade de alimento deve ser estabelecida junto ao médico-veterinário e, a partir daí, distribuída ao longo do dia. Gatos podem se adaptar bem a duas ou três refeições, entretanto, também pode ser dividido em mais vezes, mas sempre respeitando a quantidade total diária”, destaca.

Como mencionado anteriormente pela porta-voz da Hill’s Pet Nutrition, a aproximação dos animais de companhia com seus tutores pode ser citada como um dos fatores que predispõem o problema. “Há uma transferência de sentimentos e hábitos referentes aos humanos para os animais e isso inclui hábitos alimentares e rotina de atividades físicas. Neste contexto, os tutores têm papel fundamental no desenvolvimento do comportamento de ‘mendicância’ ao fornecerem petiscos e restos de alimento com o intuito de agradar, porém, ignoram o valor energético dos mesmos”, comenta.

Ela conta que um grupo de pesquisadores referiu que 97% das causas da obesidade estão correlacionadas ao tutor, citando fatores como alimento fornecido, razões sócio-econômicas e exercícios. “Outro ponto de extrema importância é que os tutores não reconhecem a obesidade como uma doença e não estão cientes das graves consequências  que ela pode trazer à saúde do animal”, salienta.

Produto Metabolic da Hill’s promove a perda de peso eficaz sem reduzir excessivamente o tamanho das porções (Fotos: divulgação)

Para transformar vidas!

É com essa missão que a Hill´s traz para o Brasil o lançamento da Hill’s Prescription Diet Metabolic, sucesso de vendas no mundo todo, “Este produto traz a nutrição mais moderna do mercado, clinicamente comprovada para ativar o metabolismo de cães e gatos por meio da nutrigenômica, ajudando o paciente a perder peso naturalmente”, descreve Rosandra.

Indicado para auxiliar a perda e manutenção de peso, além de quadros de diabetes em animais com peso normal, levemente acima do peso ou obesos, a Metabolic fornece uma mistura natural de ingredientes que, em sinergia, são cuidadosamente selecionados baseados na habilidade de mudar o metabolismo de pets com sobrepeso para se que se torne similar ao metabolismo de pets magros. “Metabolic promove a perda de peso eficaz sem reduzir excessivamente o tamanho das porções, além de possuir mix de fibras para ajudar na saciedade”, adiciona.

A veterinária revela que, em um estudo realizado pela Hill´s com 159 cães de 58  diferentes raças, e 155 gatos de oito raças diferentes, por um  período de dois meses à domicílio, onde não havia o controle absoluto da quantidade de alimento fornecida pelo tutor, foi observado que, 96% dos cães e 81% dos gatos perderam peso e em taxas consideradas muito boas pelos nutricionistas veterinários. “Isso mostra que Metabolic funciona no mundo real. Ambos os grupos de animais perderam, aproximadamente, 30% de gordura em dois meses e, aproximadamente, 50% em quatro meses. São resultados que o médico-veterinário vai perceber e o tutor também, o que colabora para o engajamento do mesmo durante o programa de perda de peso”, analisa.

Como reiterado pela profissional, todo animal tem um peso ideal para o seu tamanho e raça. “O médico-veterinário é o profissional que tem conhecimento necessário para avaliar o quadro clínico do animal e, a partir da anamnese nutricional, determinar se o pet está com sobrepeso/obeso, escolhendo o alimento adequado e a quantidade que deve ser fornecida, garantindo que o animal receba todos os nutrientes necessários para a manutenção de suas funções fisiológicas, perdendo peso com saúde”, finaliza.

A Hill´s Prescription Diet Metabolic está disponível no mercado, para cães, nas apresentações de 3,49 kg e 7,98kg; e, para gatos, na apresentação de 1,81kg.

Compartilhe este artigo agora no