Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Inovação e Mercado

Que desafios éticos enfrentam os médicos-veterinários na eutanásia?

Estudo da Universität Potsdam, na Alemanha, analisou os fatores condicionantes que os profissionais encaram na realização do procedimento
Por Equipe Cães&Gatos
eutanásia
Por Equipe Cães&Gatos

Ao contrário de outros profissionais de saúde, os médicos-veterinários lidam, frequentemente, com o ato de colocar fim na vida de um animal para aliviar o seu sofrimento, prática que faz parte da rotina do seu trabalho e tem diversas implicações. Um estudo recente da Universität Potsdam, na Alemanha, e publicado na revista Animals, analisou os desafios éticos e os fatores condicionantes que os veterinários enfrentam na eutanásia.

O método de investigação passou pela realização e análise de 17 entrevistas com veterinários. Utilizando o conceito sociológico de trabalho de limites éticos, como enquadramento teórico, o estudo observou a forma como os veterinários traçam limites ao posicionar as suas práticas de eutanásia no espectro ético ‘bom’.

De acordo com a análise, os veterinários enfrentam decisões difíceis e utilizam o trabalho de limites éticos para responder a esses desafios. “Estes devem equilibrar interesses, por vezes, conflitantes e adaptar-se a múltiplas situações. Ao compreender a complexidade do trabalho de limites éticos, podemos compreender melhor os aspectos morais da prática veterinária. Este conhecimento pode melhorar os cuidados veterinários e ajudar os profissionais a tomar decisões éticas que beneficiam tanto os animais como a sociedade”, pode ler-se no estudo.

Para os veterinários, a eutanásia é, ao mesmo tempo, uma prática rotineira, mas, também, um exercício que levanta questões éticas significativas (Foto: reprodução)

Foi possível, ainda, constatar que os veterinários assumem perspetivas diferentes sobre o que consideram eticamente aceitável em relação à eutanásia, particularmente na distinção entre animais de produção e animais de companhia. Outros fatores que influenciam a explicação e a justificação da eutanásia passam, também, pelas questões econômicas e emocionais.

Para os veterinários, a eutanásia é, ao mesmo tempo, uma prática rotineira, mas, também, um exercício que levanta questões éticas significativas à luz da mudança na relação homem-animal. Ao investigar os critérios e níveis que moldam estas fronteiras intraprofissionais, o estudo destaca o panorama moral diversificado dentro da Medicina Veterinária. A interação entre formas de raciocínio e trabalho de limites éticos é crucial para a compreensão da prática veterinária.

“A ética veterinária é desafiada pela diversidade e confusão empírica desta prática, onde os animais são utilizados de diferentes maneiras e assumem diversas posições sociomorais na sociedade moderna. Além disso, os veterinários têm vários objetos de cuidado a considerar, incluindo o animal, o cliente, o contexto mais amplo e eles próprios”, conclui o estudo.

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Eutanásia: chegou, mesmo, a hora do pet partir?

Raiva em animais: como identificar, sintomas e tratamento

Você sabe como “turistar” sem prejudicar os mamíferos marinhos? 

Compartilhe este artigo agora no