Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Risco de obesidade é maior em cães pequenos castrados

Estudo também aponta que taxa foi maior para machos do que para fêmeas
Por Equipe Cães&Gatos
Hungry fat dog licks his nose with tongue
Por Equipe Cães&Gatos

A castração em cães pequenos pode estar correlacionada a um maior risco de obesidade. É o que diz um estudo publicado recentemente no Journal of the American Veterinary Medical Association.

Os resultados revelaram que a castração aumentou o risco de obesidade para a maioria dos cães em comparação com os cães não castrados. As taxas de risco de obesidade entre cães castrados foram mais altas para os machos do que para as fêmeas. 

Além disso, o risco de obesidade variou de acordo com o tamanho da raça e a idade em que o animal faz o procedimento. A esterilização realizada no primeiro ano de idade mostrou tendência a resultar em um menor risco de obesidade em comparação com a realizada mais tarde.

Funny fat dog pug stands on the scales on a white background.
Risco de obesidade variou de acordo com o tamanho da raça e a idade em que o animal faz o procedimento (Foto: reprodução)

Atualmente, estima-se que cerca de 25% a 40% dos cães e gatos domésticos no Brasil estão com sobrepeso ou obesos, de acordo com dados da Associação Brasileira de Endocrinologia Veterinária (Abev). 

Uma das principais causas do acúmulo excessivo de gordura em pets, é a má alimentação e o sedentarismo. “Por si só, estar com sobrepeso ou obesidade não é bom para a saúde, o bem-estar ou a longevidade de um cão, além de poder contribuir para outros problemas de saúde”, explicou Valerie Benka, uma das autoras do estudo.

O estudo, conduzido com uma amostra robusta de 155.199 cães pacientes do Banfield Pet Hospital, nos EUA, entre 2013 e 2019, avaliou as associações entre a obesidade, castração, sexo, idade da castração e o tamanho da raça.

Os resultados deste estudo têm implicações significativas para os veterinários e tutores de cães. Os veterinários são recomendados a considerar cuidadosamente os riscos associados ao procedimento, levando em conta fatores como sexo, idade e tamanho da raça do animal.

Além disso, a pesquisa encoraja os profissionais a promoverem práticas alimentares saudáveis e a incentivar o exercício físico regular para prevenir a obesidade em cães.

Segundo Valerie, a compreensão aprofundada dos fatores de risco proporcionada por este estudo pode ajudar na adaptação das recomendações antes e após a castração. Assim, melhorando a saúde e o bem-estar geral dos animais de estimação.

Por que o cachorro engorda após a castração?

Com a castração, é comum que os pets demonstrem baixo entusiasmo em comparação ao que tinham antes do procedimento cirúrgico. Como passam a ficar mais calmos, é necessário que os tutores incentivem a prática de atividades para equilibrar a falta de dinâmica apresentada pelo animal.

Por isso, como o cão castrado acaba gastando menos energia em suas atividades, é preciso planejar um controle de alimentação mais rígido.

Isso não quer dizer que o pet tenha que passar fome, mas que as porções de alimento na rotina do pet sejam mais controladas, de preferência com a ajuda de um profissional veterinário na formação da dieta ideal.

Fonte: Giz_BR, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Campanha conscientiza sobre violência doméstica e animal

Tutores de cães tem mais disposição a investir em tratamentos 

Exame de habilitação na Medicina Veterinária está em votação

Compartilhe este artigo agora no