Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Tutor precisa oferecer estímulos mentais aos seus pets

Adestrador compartilha dicas valiosas para o bem-estar, equilíbrio mental e gasto de energia dos animais
Por Equipe Cães&Gatos
foto-brincadeira
Por Equipe Cães&Gatos

Ter um animal requer carinho, cuidado e tempo disponível. Entretanto, da mesma forma que os humanos, os pets precisam de exercícios físicos, mas também necessitam de estímulos mentais. Desta forma,é possível deixá-los cansados, gastando energia da maneira correta, como também desenvolver o cérebro deles, desafiando-os.

De acordo com o adestrador e sócio do Patinhas Urbanas, Richardson Zago, estimular a inteligência dos cães tem um impacto significativo em seu comportamento. “Essa mudança positiva no cérebro expõe a uma variedade de experiências interessantes, lugares e outros pontos valiosos para a vida do animal de estimação. Isso não apenas os auxilia a aprender mais facilmente e a realizar tarefas complexas, mas também a serem menos emocionais, temerosos e, até mesmo, agressivos e destruidores”, pontua.

Além dos brinquedos recheáveis e aqueles que liberam petiscos, Zago destaca duas atividades que podem ser facilmente implementadas em casa: um “caça-ração” no meio do feno, excelente para estimular o olfato do pet; e o “labirinto”, que pode ser feito até mesmo com caixas de papelão, desafiando o pet a encontrar o caminho certo e sendo recompensado com petiscos, frutas ou rações.

Colocar o pet em situações em que ele precisa tomar decisões é uma ótima ideia para estimular sua inteligência (Foto: reprodução)

O “caça-ração” é simples: ao invés de despejar a comida na tigela, esconda pequenas partes pela casa e faça seu cão “caçar a ração”. Comece com locais fáceis e, à medida que o pet melhora no jogo, esconda a comida em lugares mais desafiadores, como no meio do feno. Já o labirinto pode ser feito com caixas de papelão, desafiando o pet a quebrar a cabeça para encontrar o caminho certo, sendo recompensado com petiscos, frutas ou rações. “Outra forma de estimular a mente do cão é transformar a hora da alimentação em uma caça ao tesouro. Divida a porção de comida em pequenas porções e espalhe-as pela casa, incentivando o cão a procurá-las. É importante começar com um jogo fácil no início, e à medida que o cão se acostuma, você pode esconder a comida em lugares mais desafiadores”, destaca.

Para incorporar estímulos mentais na rotina diária do cão, o profissional afirma que é possível mudar a rota do passeio, contratar um adestrador para ensinar comandos ou até mesmo levá-lo para viajar. “Colocar o pet em situações em que ele precisa tomar decisões é uma ótima ideia para estimular sua inteligência, aliviar o estresse e o tédio, além de melhorar seu comportamento e fortalecer o vínculo entre o animal e o tutor”, explica.

Zago enfatiza, também, que trabalhar o olfato dos cães é tão importante quanto levá-los para passear. “As atividades que estimulam o olfato são uma ótima forma de cansar o animal mentalmente, além de ativar o instinto natural dos pets, que fazem isso com frequência na natureza, que é o que chamamos de enriquecimento ambiental. Aqui, no Patinhas Urbanas, constantemente, elaboramos brincadeiras com elementos da natureza. Uma brincadeira saudável nem sempre requer alto investimento. O que importa é usar a criatividade, ir além das atividades físicas e os desafiar para que sejam saudáveis e felizes antes de tudo. Afinal, nosso lema no Patinhas Urbanas é bem-estar e diversão levados a sério!”, finaliza.

Fonte: Patinhas Urbanas, adaptado pela equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:

Veterinária destaca a importância da vermifugação para a saúde dos pets

Comportamentalista animal mostra como ter uma boa convivência com o pet

Veterinária alerta sobre os riscos por com o calor extremo aos pets