Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Veterinária alerta sobre os riscos por ingestão acidental de chocolate pelos pets

É preciso manter esses alimentos fora do alcance dos animais de estimação e não só na Páscoa
Por Equipe Cães&Gatos
foto-pascoa
Por Equipe Cães&Gatos
O consumo de chocolate pode levar a sintomas como vômitos, diarreia e aumento da frequência cardíaca (Foto: reprodução)

É chegada a temporada mais deliciosa do ano: a Páscoa! Esta data, além de seu significado espiritual e religioso, está fortemente ligada ao chocolate, bem como a outros alimentos que podem representar riscos para nossos animais de estimação.

Enquanto a ocasião nos traz momentos de alegria, é crucial estar ciente de que alguns alimentos comuns nesta época podem ser prejudiciais aos nossos pets.

A médica-veterinária nutróloga de cães e gatos do Veros Hospital Veterinário, Carla Maion, traz alguns alimentos que devem ser evitados para os pets.

Chocolate: O chocolate contém teobromina e cafeína, substâncias que são tóxicas para cães e gatos. O consumo de chocolate pode levar a sintomas como vômitos, diarreia, aumento da frequência cardíaca, tremores, convulsões e até mesmo a morte, dependendo da quantidade ingerida e do tamanho do animal. 

Uvas e passas: Embora não seja um alimento tradicional de Páscoa, algumas pessoas podem ter uvas ou passas em suas cestas de Páscoa. Essas frutas são altamente tóxicas e podem causar insuficiência renal aguda. 

Xilitol: Este adoçante artificial é frequentemente encontrado em doces sem açúcar, chicletes e outros produtos. O consumo de xilitol pode causar uma rápida liberação de insulina em cães, levando à hipoglicemia, que pode ser fatal se não tratada rapidamente. 

Nozes de macadâmia: As nozes de macadâmia são tóxicas para cães e podem causar fraqueza, vômitos, tremores, hipotermia e dificuldade para andar.

Durante as festas e datas comemorativas, devem ser oferecidos petiscos específicos para pet (Foto: reprodução)

Doces e alimentos gordurosos: Alimentos ricos em gordura, como sobremesas e pratos gordurosos, podem causar pancreatite em cães e gatos, uma condição dolorosa e potencialmente fatal.

Além de alertar que é necessário manter esses alimentos fora do alcance dos animais de estimação e não só na Páscoa, a médica-veterinária listou os principais sintomas e o que fazer em caso de ingestão acidental de qualquer um desses alimentos tenha levado a uma intoxicação. 

Sinais clínicos de intoxicação: Vômito, diarreia, aumento da frequência cardíaca, tremores, hiperatividade e convulsões são sinais comuns. A teobromina presente no chocolate, por exemplo, afeta o sistema nervoso e cardiovascular, podendo resultar em complicações graves.

“Em caso algum desses sintomas se manifestarem, é importante agir rapidamente. Consulte um veterinário para avaliação e tratamento imediato. O profissional pode recomendar indução ao vômito, administração de carvão ativado, monitoramento dos sinais clínicos, entre outras alternativas terapêuticas”, recomenda a profissional.

Ela ainda alerta para que os tutores mantenham alimentos inadequados fora do alcance dos animais, eduque sobre os perigos e não compartilhe alimentos. “Durante as festas, esteja atento à presença de pets e não deixe as sobras acessíveis. Oriente às visitas, crianças e idosos”, destaca.

Mas o que os pets podem comer nesta época para comemorar junto aos tutores? Carla declara que, durante as festas e datas comemorativas, devem ser oferecidos petiscos específicos para pet, mas tenha cuidado, até mesmo, com chocolates feitos para cachorros. “Eles não são tóxicos, porém, se o pet tiver algum tipo de sensibilidade alimentar, eles podem agravar alguma questão já existente. Procure petiscos naturais e sempre procure orientação do seu médico-veterinário”, finaliza.

Fonte: Veros, adaptado pela equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:

Medicina Veterinária é peça essencial para a Saúde Única

Eutanásia requer compreensão da dor do animal e aceitação da experiência do luto

Veterinário comenta benefícios da internação acompanhada para pets