in

VETERINÁRIA FALA SOBRE O AUMENTO DE LEPTOSPIROSE CANINA EM PERÍODO DE CHUVA

A principal forma de prevenir a doença é por meio da vacinação

Apesar de não se ouvir muito sobre ela, a leptospirose é uma doença séria que afeta os cães e também os humanos e pode se tornar mais frequente em períodos de chuva. A lepto, também conhecida como a doença da urina do rato, pode ser fatal e atinge os cães de forma grave nos rins e no fígado. “A doença é altamente letal e a principal forma de transmissão se dá pela urina do rato”, alerta a médica-veterinária da Venco Saúde Animal (Londrina/PR), Larissa Salles Teixeira. 

Trata-se de uma doença infecciosa causada por bactérias do gênero Leptospira e que estão distribuídas no mundo todo, segundo a veterinária da Venco, em cerca de 250 sorovares, agrupados em sorogrupos, ou seja, são diversas bactérias classificadas de acordo com suas características antigênicas.   

Larissa observa que a Leptospira pode penetrar na pele íntegra, com pequenas feridas ou mesmo nas mucosas. E tanto as espécies domésticas, como as silvestres são capazes de adquirir a infecção e se tornar portadoras e serem fontes de transmissão, inclusive para o homem. “O cão, principalmente por seu contato íntimo com as pessoas, se torna a principal fonte de leptospirose humana, podendo eliminar as bactérias na urina, ainda que não manifeste nenhum sintoma”, alerta. 

lepto

Profissional orienta a não deixar o saco de ração aberto ou em local de fácil acesso (Foto: reprodução)

O mais importante, reforça a veterinária, é que a doença tem prevenção. “Essa é a parte mais importante quando se fala em leptospirose. E a principal forma de prevenir é por meio da vacinação”, ressalta. Larissa lembra que a prevenção contra a lepto, normalmente, está contemplada nas vacinas múltiplas, contra cinomose ou parvovirose, por exemplo. Quando se fala em vacina para lepto, o importante é que ela contemple pelo menos os principais sorovares encontrados na região, dentre os mais de 250 tipos já identificados. “A vacina que tiver a maior quantidade de sorovares fornece maior proteção”, pontua. A Venco, por exemplo, trabalha com as vacinas Vencomax 8, 11 e 12 que possuem essa proteção, sendo que a mais abrangente é a Vencomax 12, que além de proteger contra as principais doenças infecciosas de cães, protege contra 7 sorovares de leptospira, tornando-se a mais completa do mercado. 

Também é preciso pensar no controle dos roedores, alerta a veterinária. “É fundamental dificultar o acesso deles à ração do cão, não deixar o saco de ração aberto ou em local de fácil acesso e evitar acúmulo de lixo e entulho no quintal. A ração é um atrativo e o animal vem buscando esses restos de comida”, explica.  

O diagnóstico, segundo a veterinária, é feito levando em conta algumas informações do animal, histórico de vacinação, se ele entrou em contato com água contaminada, enchente, alagamento ou roedores e também através de exames laboratoriais mais apurados, buscando a identificação dos anticorpos ou do próprio microrganismo. 

A doença tem tratamento, mas, segundo Larissa, depende da precocidade com que se consegue detectar a enfermidade. É feito à base de antibióticos, reposição de líquidos e até transfusão sanguínea se o animal estiver em um quadro de anemia grave.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PROJETO DE LEI EXIGE TELAS E REDES DE PROTEÇÃO NA ENTREGA DE APARTAMENTOS

RADIOTERAPIA APRESENTA MENOS EFEITOS COLATERAIS EM PACIENTES COM CÂNCER