in

Veterinário alerta sobre os problemas que bolas de pelos podem causar

Profissional explica que o acúmulo dos pelos no organismo do gato pode resultar, em casos graves, em uma obstrução intestinal

Quem tem gato em casa, já está acostumado a acompanhar as sessões de banhos do pet. O “banho de gato” ou grooming é o momento de auto higienização do felino, um comportamento extremamente normal, mas, durante este processo, muitos acabam ingerindo alguns pelos, que, mais tarde, se transformam em bolas de pelos.

O médico-veterinário e supervisor de Capacitação Técnico-Científica da PremieRpet, Flavio Silva, esclareceu como é o processo dessa formação: “Como não são digeridos, os pelos se acumulam e há a formação das bolas. Os gatos costumam expelir essas formações por meio das fezes ou vômito, o que deve ser acompanhado constantemente por um profissional”.

Por ser um hábito natural da espécie, o organismo dos gatos é capaz de eliminar naturalmente os pelos ingeridos. Entretanto, de acordo com Flavio, nos casos de ingestão excessiva, esses pelos podem se acumular no sistema digestivo e causar danos à saúde do animal. “A presença desses emaranhados pode causar falta de apetite, constipação e, em casos mais graves, uma obstrução intestinal”, afirma.

bolas de pêlo
A nutrição do animal é uma grande aliada, já que um alimento com maior teor de fibras ajuda no controle das bolas de pelo (Foto: reprodução)

Portanto, o profissional alerta a importância de prevenir a formação dessas bolas e minimizar o desconforto dos gatos. Sendo assim, Flavio dá algumas dicas: “A nutrição do animal é uma grande aliada, já que um alimento com maior teor de fibras ajuda no controle das bolas de pelo, estimulando o processo de digestão. Outra maneira eficaz de prevenir as bolas de pelo é escovar o gato diariamente, ou, no mínimo, a cada três dias. A medida ajuda a remover os pelos mortos, evitando que grandes quantidades sejam ingeridas”, enfatiza. 

Alguns vilões a serem observados são o sedentarismo e o tédio, que potencializam o hábito de se lamber, por isso, o ideal é criar um ambiente que estimule brincadeiras, interação e exercícios físicos. Ter brinquedos e arranhadores são boas opções.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinário compara a prática da Medicina Integrativa para humanos e para pets

CRMV-SP recebe inscrições para concurso público para variados cargos

CRMV-MS lança documentário sobre a produção legal de animal silvestre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

redes sociais

Nas redes sociais, veterinário deve tomar cuidado para não ferir Código de Ética Profissional

Selo Municipal direitos Humanos

Elanco disponibiliza Cartilha da Diversidade para o Dia da Visibilidade Trans