in

VETERINÁRIOS APONTAM PROBLEMAS DE VISÃO QUE PODEM ACOMETER CÃES

É preciso instruir o tutor para melhor adaptação do pet em sua casa

A preocupação em garantir saúde e bem-estar aos animais é constante, mas essa atenção se redobra quando se tem um animal que perde a visão. Conversamos com profissionais que explicam sobre os problemas que podem acometer os olhos dos cães e como instruir os tutores para melhor adaptação do pet ao lar.

O médico-veterinário, com pós-graduação em Geriatria de Cães e Gatos e presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria Veterinária (SBGV), Enore Augusto Massoni, aponta que algumas alterações são comuns e diretamente relacionadas com o envelhecimento do cão, como a atrofia da íris e esclerose nuclear lenticular. No entanto, é comum, também, o aparecimento de doenças degenerativas do globo ocular propriamente dito e também de alguns distúrbios metabólicos que afetam diretamente a visão.

“O começo é bem sutil e a correta avaliação e diagnóstico estão diretamente ligados à capacidade do veterinário em detectar prejuízos visuais, o que depende diretamente da astúcia do tutor em detectar alterações no comportamento do animal”, salienta.

Segundo ele, cães e gatos passam a ter dificuldade para reconhecer seus tutores de maiores distâncias e começam a estranhar os outros animais da casa. “Posteriormente, podem ser observadas dificuldade em passar por obstáculos ou colisões com móveis, em casos mais avançados e sem acompanhamento, o animal pode ser apresentar extremamente agressivo, por ficar inseguro, e não reconhecer seu ambiente e também apresentar grande relutância em se movimentar”, explica Massoni.

O médico-veterinário, especialista em Medicina Comportamental pelo Colégio Europeu de Bem-Estar Animal e Medicina do Comportamento e diretor científico-pedagógico do Centro para o Conhecimento Animal, em Portugal, Gonçalo da Graça Pereira, acrescenta que é importante transmitir aos tutores quais são os sinais de envelhecimento do cão. “Utilizamos, habitualmente, questionários. Um dos sinais que indicam que há algum problema são alterações do ciclo do sono: cães que passam a noite acordados, ofegantes, caminhando pela casa e durante o dia dormem. São pets que podem precisar de apoio de medicamentos e de uma maior interação durante o dia, para que sejam ativos durante o dia e durmam à noite”, explica.

Leia a reportagem completa em nossa revista on-line, gratuitamente. Acesse aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONSELHO FEDERAL CELEBRA O DIA DA DEFESA DA FAUNA NO BRASIL

VETERINÁRIOS DO CRMV-SP DESTACAM CUIDADOS COM PETS NA PRIMAVERA