in

VETERINÁRIOS DO CRMV-SP DESTACAM CUIDADOS COM PETS NA PRIMAVERA

Profissionais alertam para o aparecimento de insetos, parasitas e plantas tóxicas

O frio do inverno pode causar problemas respiratórios agudos; o sol e calor escaldante do verão também oferecem riscos aos animais. A primavera, por sua vez, que tem início hoje, dia 22 de setembro, é considerada a estação mais confortável para os pets. Apesar disso, é preciso ter alguns cuidados extras com a saúde e o bem-estar dos animais de estimação e atenção ao levá-los para passeios.

De acordo com o médico-veterinário da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), Otavio Verlengia, com o aumento da temperatura, os animais podem começar a pegar mais parasitas, como carrapatos e pulgas, que têm seus metabolismos acelerados e se proliferam pelas áreas gramadas. Verlengia enfatiza que os tutores precisam ter cuidados durante os passeis para que os pets também não sejam alvo de formigas ou abelhas, o que normalmente causa alergias preocupantes nos pets.

Alergias também podem ser causadas pelo pólen, ocasionando espirros e o desenvolvimento de rinites. A integrante da Comissão de Bem-estar Animal do CRMV-SP, a médica-veterinária Rosângela Gebara, esclarece que, apesar desses casos serem raros no Brasil, é importante procurar um médico-veterinário caso haja alteração no comportamento do pet após passeios.

Risco de intoxicação. As plantas e flores ainda podem representar outro perigo aos animais de estimação. De acordo com Verlengia, a ingestão de algumas delas pelos pets pode desencadear problemas graves. “As espécies mais comuns em parques e jardins na estação e que podem ser perigosas se ingeridas são a azaleia, o bico-de-papagaio, a acomigo-ninguém-pode, o crisântemo, a dama da noite, e o lírio. Os animais gostam da florada, mas a ingestão das flores é um perigo para eles e pode causar intoxicação”, alerta.

Cuidados especiais durante a Primavera. Segundo os profissionais, o tutor deve ter atenção às temperaturas: a partir dos 25°C, o chão pode queimar as patas dos pets. Além disso, é preciso estar atento ao peso do animal, bem como à alimentação e, principalmente, à hidratação. “Esta é uma boa estação para exercitar os pets”, informam.

Também é importante verificar se a vacinação está em dia, pois as condições meteorológicas da estação podem levar ao aumento de casos de leptospirose. “Somado a isso, o pet não deve frequentar espaços em que a vegetação esteja com mais de 10cm de altura, também evitando que as plantas tóxicas estejam ao alcance dos pets”, declara Rosângela.

Verlengia também reforça que é preciso manter rígido controle dos insetos e parasitas, utilizando produtos repelentes e parasiticidas sistêmicos (orais ou transdérmicos), com critério e sob supervisão médica-veterinária. “Procure manter os animais em ambientes frescos, arejados, sem de uso de desinfetantes concentrados e perfumados. Ademais, busque sempre orientação de manejo do animal com seu médico-veterinário e busque o profissional sempre que o pet apresentar alterações de saúde ou de comportamento”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VETERINÁRIOS APONTAM PROBLEMAS DE VISÃO QUE PODEM ACOMETER CÃES

WVA REALIZA REUNIÃO A FIM DE DEFINIR POLÍTICAS PARA O PRÓXIMO ANO