in

VIAGEM COM OS PETS: VETERINÁRIOS DÃO DICAS PARA ROTEIROS DE CARRO

Saúde e bem-estar dos animais devem ser prioridade

Algumas famílias podem conseguir viajar durante as férias atendendo as restrições necessárias para a prevenção contra a Covid-19. Para as que levarão os animais de estimação, existem medidas que precisam ser adotadas.

De acordo com o médico-veterinário membro da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais (CTCPA) do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), Eduardo Pacheco, é preferível evitar viagens longas de carro com pets. “Se for necessário viajar com o animal, é importante fazer várias paradas durante o percurso para que ele possa se hidratar, defecar e urinar. O ar condicionado do veículo pode ajudar a manter o pet mais estável, mas o ideal é viajar nas horas mais frescas do dia ou à noite”, afirma.

Para o também integrante de CTCPA do CRMV-SP, Otávio Verlengia, deve-se ter cuidado em não oferecer grandes quantidades de alimento antes e durante a viagem para evitar vômitos, e, também, com as moscas de modo geral, especialmente na praia. “Em regiões alagadas, há o famoso verme do coração. Neste caso, dá para medicar o pet antes de ir viajar, basta consultar o médico-veterinário para evitar problemas”, diz.

Confira 4 dicas para viajar com os pets no verão:

Vacinação. É preciso garantir que todas as vacinas estejam em dia. Atenção especial a vacinas como V8, antirrábica, contra gripe e contra giárdia/giardíase.

Coleira, repelente e antiparasitários. Quando o assunto é leishmaniose, a coleira repelente é indispensável. A doença é mais comum no verão, pois as altas temperaturas são ideais para a proliferação do vetor da doença, o mosquito Palha. As altas temperaturas também geram aumento na proliferação de parasitas como pulgas e carrapatos, por isso, é necessário escolher também qual antiparasitário é o ideal para o seu pet.

Vermifugação. Além da administração do vermífugo, pode ser indicado realizar um exame parasitológico das fezes.

Verme do coração. A dirofilariose, conhecida como Doença do Verme do Coração, é comum nos períodos mais quentes também por conta do cenário ideal à proliferação de carrapatos e do mosquito vetor. O ideal é prevenir a picada do mosquito vetor e fazer a desparasitação com o médico-veterinário.

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CFMV CRIA COMISSÃO NACIONAL DE DESASTRES EM MASSA ENVOLVENDO ANIMAIS

PESQUISA: 80% DOS TUTORES NÃO CONSEGUEM IDENTIFICAR SOBREPESO E OBESIDADE EM PETS