in

Zootecnista destaca os benefícios e os cuidados sobre alimentação natural para os pets

Comidas caseiras devem ser ofertadas aos animais de forma moderada, prescritas por um profissional

A dieta dos animais, assim como a dos seres humanos, precisa ser balanceada e nutritiva. Uma alimentação pobre em nutrientes pode resultar em doenças, como obesidade, dermatite, queda frequente de pelos, diabetes e tumores. Além disso, os aditivos e conservantes das rações industrializadas podem causar alergias, gastrite, coceiras constantes, provocando ferimentos e lesões na pele em alguns pets.  

As comidas caseiras devem ser oferecidas aos cães e gatos de forma moderada, de acordo com o seu peso e a quantidade calórica que necessita. De acordo com a zootecnista doutora em nutrição animal e professora do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário Maurício de Nassau Recife (Uninassau), Michelle Siqueira, a dieta do animal precisa conter proteínas, como ovos, peixes, frangos grelhado, cordeiros e carnes. “Também é necessário incluir carboidratos e fibras nas refeições. Algumas opções são batata doce, arroz integral e legumes. Frutas ricas em água e nutrientes, como peras, melancias, maçãs, melões, mamões, laranjas e bananas, servem de petiscos”, indica. 

Os animais de estimação jamais devem ingerir comidas temperadas (Foto: reprodução)

Muitos alimentos devem ser evitados por serem tóxicos, gordurosos ou de difícil digestão. “Esse é o caso da cebola, do alho, leite, pão e chocolate. Também existem algumas frutas proibidas, como a folha, caroço ou casca do abacate, uva, uva-passa, carambola e cereja. Os animais de estimação jamais devem ingerir comidas temperadas, pois contém açúcar e uma quantidade elevada de sódio. Esses ingredientes são extremamente perigosos para eles”, salienta. 

Michelle ainda afirma que é fundamental o acompanhamento de um médico-veterinário ou zootecnista para a mudança dos hábitos alimentares dos pets. “A suplementação alimentar precisa ter acompanhamento profissional, pois interfere no bem-estar e na saúde deles. Um dos benefícios das comidas caseiras é poder variar o cardápio e planejar de forma adequada as refeições. Além disso, os alimentos precisam ser servidos frescos e preparados diariamente conforme a condição do animal”, explica. 

Ela também destaca que o tutor deve preparar o cardápio com o máximo de cuidado, oferecendo os alimentos de acordo com o peso e tamanho do pet. “Essas refeições podem ser feitas duas ou três vezes por dia, deixando-as à disposição por, no mínimo, 30 minutos até o seu consumo. No caso de animais castrados ou com problemas de saúde, eles precisam ter uma dieta com algumas vitaminas especificas”, sugere. 

Dar início a uma dieta longe de alimentos industrializados é um desafio imenso na rotina dos tutores e na mudança de vida do pet, como comentado pela profissional: “Porém, é preciso enfrentar esse desafio para trazer uma melhora na qualidade de vida dos animais de estimação”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Opinião de veterinários deve ser a mais relevante para tutores de animais de companhia

Ampara Animal realiza desafio mundial e convida população para fotografar a natureza

Justiça determina que elefante Sandro permaneça no Zoológico de Sorocaba, interior de SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dia da medicina veterinária

Opinião de veterinários deve ser a mais relevante para tutores de animais de companhia

laboratório

Atualização: CFMV publica nova resolução sobre campo de atividade dos zootecnistas