in

Alguns cuidados, principalmente com a alimentação, devem ser considerados com pets resgatados

Encher a vasilha com alimento logo de imediato não é algo recomendado por profissionais

Resgatar um cão ou gato possibilita oferecer cuidados que ele, talvez, nunca tenha recebido até então, como abrigo, alimentação adequada, acompanhamento veterinário e, principalmente, carinho e amor.

No entanto, é válido lembrar que essa iniciativa exige muita responsabilidade, paciência e dedicação. “O primeiro passo é levar o pet a um médico-veterinário para verificar seu estado de saúde e realizar todos os exames necessários”, afirma o médico-veterinário, mestre em nutrição de cães e gatos e supervisor de Capacitação Técnico-Científica da PremieRpet, Flavio Silva.

É importante, também, providenciar o alimento que será oferecido ao pet. “Uma alimentação completa e balanceada faz toda a diferença na vida dos cães e gatos resgatados. A boa nutrição proporciona saúde e bem-estar para que os pets tenham uma vida mais longa e prazerosa junto aos seus tutores”, garante Silva.

Alimentos de alta qualidade e nas quantidades certas proporcionam a cães e gatos uma boa nutrição ao longo de toda a vida (Foto: reprodução)

O especialista dá dicas sobre os cuidados na alimentação de animais resgatados:

  • É importante contar com a orientação de um médico-veterinário para indicar a alimentação mais adequada para a faixa etária, o porte, o nível de atividade física, bem como as condições fisiológicas e corporais de cada pet;
  • Quando um cão ou gato é recolhido das ruas, o primeiro pensamento pode ser encher o comedouro para saciar sua fome. Mas, atenção: essa não é a prática mais recomendada, já que o animal, muitas vezes, não está acostumado a receber um grande volume de alimento de uma única vez. O ideal é oferecer alimento e água em pequenas porções ao longo do dia;
  • Se o animal estiver abaixo do peso, a nutrição adequada promoverá aos poucos ganho de peso e massa muscular, deixando-o cada vez mais ativo e saudável. Importante: não dê suplementos vitamínicos, minerais ou energéticos sem orientação do veterinário;
  • Não alimente o pet com refeições para humanos. As necessidades alimentares de cães e gatos são diferentes das pessoas e eles precisam de alimento específico para suprir sua demanda de vitaminas, gorduras, carboidratos, proteínas e fibras. Além disso, muitos dos ingredientes utilizados para humanos podem ser tóxicos ao animal, como o alho e a cebola.

Flavio Silva reforça que os alimentos de alta qualidade e nas quantidades certas proporcionam a cães e gatos uma boa nutrição ao longo de toda a vida. “Tutores que têm o cuidado de oferecer alimentos completos e balanceados para seus pets, como os das categorias super premium, sem dúvida, estão garantindo a eles uma vida mais saudável e feliz”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Campanha “Janeiro Branco” reforça a importância de cuidar da saúde mental

Balanço: CRMV-AM realizou quase 900 fiscalizações em estabelecimentos durante 2021

Médica-veterinária explica alguns comportamentos dos gatos que causam dúvidas nos tutores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CRMV-PR abre inscrições para o processo seletivo de estagiários na área do direito

CRMV-PR abre inscrições para o processo seletivo de estagiários na área de Direito

Livro UFMG

Veterinárias lançam livro que aborda terapêuticas em animais domésticos