Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Alimentação inadequada é a principal causa da obesidade em cães e gatos

Por Equipe Cães&Gatos
gato gordo
Por Equipe Cães&Gatos

O Dia Mundial da Obesidade, comemorado em 04 de março, incentiva a conscientização e o tratamento dessa doença que tem índices alarmantes. Se entre os humanos ela é prevalecente, entre os pets não é diferente.

A obesidade é uma doença causada pelo excesso de gordura corporal e representa um dos problemas de saúde que mais acometem os animais de estimação atualmente. Ela é resultado de um desequilíbrio entre a ingestão e o gasto de energia e pode acarretar diversos problemas, como doenças ortopédicas, cardiorrespiratórias, diabetes, problemas urinários e outras complicações que afetam a saúde e a longevidade dos pets.

Principais causas da obesidade

De acordo com a médica-veterinária a supervisora de Capacitação Técnico-Científica e Técnico-Comercial da PremieRpet, Marina Macruz, os cuidados com a escolha do alimento e o manejo são pontos fundamentais para prevenir e combater o excesso de peso, por isso devem ser tratados como prioridade pelos tutores de cães e gatos.

“Uma alta ingestão calórica diária pode resultar em um ganho de peso significativo no longo prazo. Dessa maneira, o excesso de petiscos e a ‘humanização’ da alimentação são fatores que contribuem diretamente para isso. É importante lembrar que cães e gatos não escolhem o que comer ou quantas vezes ao dia devem se alimentar, portanto, cabe ao tutor zelar pela alimentação adequada”, diz.

Além disso, doenças endócrinas, distúrbios de comportamento, sedentarismo e envelhecimento também estão entre as causas de obesidade nos pets.

Excesso de petiscos e a ‘humanização’ da alimentação são fatores que contribuem diretamente para o surgimento da doença (Foto: reprodução)

Como prevenir a obesidade em cães e gatos

  • Escolha o alimento certo – Os alimentos de alta qualidade (super premium ou premium) contêm níveis ótimos de proteínas, gorduras, vitaminas e minerais, e devem sempre fazer parte da vida do pet para os cuidados preventivos da obesidade e outras doenças. Lembre-se: alimento completo não necessita suplementação.
  • Estabeleça uma rotina de alimentação – Oferecer porções controladas em horários fixos ao invés de deixar o alimento sempre disponível é a melhor forma de evitar o consumo exagerado. Não deixe o alimento por mais de 15 minutos a cada refeição. Se o animal não comer, retire a vasilha.
  • Evite o excesso de petiscos – Os lanchinhos ou agrados não devem ser oferecidos em excesso para não comprometer o equilíbrio nutricional. Os petiscos devem representar no máximo 10% das calorias diárias indicadas para a idade e o porte do animal.
  • Não ofereça os restos da alimentação humana – Animais e humanos têm necessidades alimentares diferentes e isso deve ser respeitado. Alguns alimentos para humanos podem, inclusive, ser tóxicos para o pet, como alho, cebola, uva e chocolate.
  • Promova atividades físicas diárias – Exercícios físicos regulares são muito bem-vindos para reduzir o estresse, a ansiedade e aumentar o gasto energético. Podem ser feitos por meio de passeios, brincadeiras e enriquecimento ambiental.

Com esses cuidados ao longo da vida, cães e gatos podem ter mais saúde e longevidade. E isso só depende do tutor!

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Gato Norueguês da Floresta é uma boa opção para famílias com crianças e outros pets

CRMV-PB lança campanha contra exercício ilegal da Medicina Veterinária e da Zootecnia

Com popularidade dos bulldogs, WSAVA alerta para crescente crise dos cães braquicefálicos

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!