in

NOSEiD: aplicativo norte-americano visa facilitar encontro de cães perdidos

Ferramenta, pela câmera do celular, permite escanear focinho dos animais

Para facilitar o encontro de cães perdidos, aplicativo permite escanear focinho dos animais. Iniciativa norte-americana pode ser realizada com a câmera do celular e dá acesso às informações de contato do tutor.

Ao operar na região de Nashville, nos Estados Unidos, ferramenta promete ser ágil e eficaz. Para isso, o aplicativo NOSEiD utiliza a captura da câmera para ler as rugas presentes no focinho dos cães, que são únicas – como as impressões digitais nos seres humanos. Segundo a desenvolvedora, ideia é expandir o serviço para mais cidades, em breve.

Vale ressaltar que, para utilizar o serviço, o responsável pelo cão precisa cadastrar informações básicas de contato e, em seguida, responder a perguntas detalhadas sobre seu pet. Também é possível inserir fotos do animal, que ajudarão a identificá-lo caso seja encontrado por outra pessoa. Tais informações, porém, só ficam disponíveis a outros usuários se o cachorro correto tiver seu focinho escaneado.

O aplicativo ainda promete funcionar com cães de qualquer tamanho e raça. A partir do momento em que o animal estiver perdido, o responsável pode alterar o status na rede do app, avisando do sumiço. Com isso, o serviço passa a conectá-lo a pessoas que encontraram animais perdidos nas redondezas, aumentando também a probabilidade do resgate.

Fonte: Revistapegn, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Médica-veterinária fala sobre alguns pontos da alimentação natural crua

1º centro de castração gratuita entrará em funcionamento na zona sul de SP

Residentes da FMVZ-Unesp produzem vídeo e cartilha sobre leishmaniose e toxoplasmose

rep
(Foto: reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Terapia assistida por animais auxilia no combate à solidão de idosos

radar pet 2021

Comac divulga nova edição da pesquisa Radar Pet com panorama do mercado na pandemia