Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Como escolher o alimento ideal para cães e gatos idosos? 

Para o pet se manter saudável, é preciso uma atenção especial com a alimentação
Por Equipe Cães&Gatos
unnamed (2)
Por Equipe Cães&Gatos

O impacto físico pelo avanço da idade atinge não só os humanos, mas também os cães e gatos. Por isso, cada fase da vida demanda cuidados específicos; e adequar especialmente sua alimentação é muito importante para proporcionar mais bem-estar e longevidade.

A fase idosa para os cães de portes pequeno e médio tem início a partir de 7 anos, e para os de porte grande a partir dos 5 anos. No caso dos gatos, a partir dos 12 anos eles entram na senioridade.

Conforme explica a médica-veterinária e supervisora de Capacitação Técnico-Científica e Técnico-Comercial da PremieRpet, Marina Macruz, para o pet se manter bem e saudável na “melhor idade”, é importante que o tutor tenha uma atenção especial com a alimentação. 

“Cães idosos têm uma tendência à obesidade, por isso, devem ser estimulados a exercícios diários. Já para o gato idoso a tendência natural é o emagrecimento. Nesse caso, a atenção deve ser focada na quantidade de energia que vai ingerir por dia”, define.

A fase idosa para os cães de portes pequeno e médio tem início a partir de 7 anos, e para os de porte grande a partir dos 5 anos. No caso dos gatos, a partir dos 12 anos eles entram na senioridade (Foto: divulgação)

Mas, como escolher o alimento ideal? Segundo Marina, o alimento para o pet idoso deve atender as necessidades nutricionais específicas desta fase da vida, considerando necessidade energética, a preservação da massa muscular, a oferta de ingredientes para proporcionar mais vitalidade, saúde articular, equilíbrio intestinal, saúde oral, prevenção de problemas de saúde decorrentes do avanço da idade e o bom funcionamento do organismo como um todo. 

O formato do grão também tem importância nesta fase, uma vez que precisa facilitar a preensão e mastigação. “Os alimentos de alta qualidade, como os super premium, foram desenvolvidos com precisão de ingredientes para atender todas essas necessidades, minimizando e prevenindo as consequências decorrentes do avanço da idade. Por isso, oferecem ao pet mais saúde e longevidade”, explica Marina.

A troca de alimento dos pets nunca deve ser feita de forma repentina. “O ideal é contar com a orientação do médico-veterinário, que poderá indicar o alimento mais adequado para cada cão ou gato, e realizar a troca gradativa conforme indicado na embalagem. Esse cuidado é muito importante para garantir a saúde do pet e facilitar sua adaptação ao novo alimento, o que inclui o processo digestivo”, orienta a veterinária.

Assim como em todas as fases da vida, o tutor deve oferecer apenas a quantidade diária de alimento recomendada pelo médico-veterinário ou no verso da embalagem. 

A oferta abundante de água limpa e fresca, carinho, atenção, atividades diárias também são imprescindíveis para a saúde e qualidade de vida dos pets.

O pet idoso deve contar com acompanhamento e consultas periódicas com o médico-veterinário. Eles podem ter diminuição da sua integridade cognitiva, então a qualquer sinal de mudanças de comportamento o tutor deve levá-lo a um especialista para investigação e melhor tratamento.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Controle da dor é fundamental para pets com doenças articulares

Como tornar segura a convivência entre plantas e pets

Risco de obesidade é maior em cães pequenos castrados

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!