Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Conheça quatro doenças oculares mais comuns em cães

Olho seco, vermelhidão e problemas de visão podem indicar que há algo errado
Por Equipe Cães&Gatos
close up of eye of pembroke welsh corgi dog
Por Equipe Cães&Gatos

Assim como os humanos, os pets podem ter doenças oculares ao longo da vida. Por isso, é importante que os tutores fiquem atentos a sinais que indiquem problemas nesta área, como olho seco, vermelhidão ou problemas de visão.

Entre os desafios mais comuns, está a ceratoconjuntivite, também conhecida como olho seco. É caracterizada pela diminuição da produção de lágrimas, o que causa ressecamento dos olhos e, consequentemente, coceira e vermelhidão na região que pode ocasionar também algumas lesões de córnea.

Close up or macro of an eye of a Finnish Lapphund dog
Caso o animal apresente algum dos sintomas citados acima, é indicado procurar um médico veterinário especializado em oftalmologia (Foto: reprodução)

O glaucoma também é muito comum em cães, sendo considerada uma doença perigosa, uma vez que também pode causar cegueira. A doença ocorre quando a pressão do globo ocular aumenta devido a uma interrupção da circulação de fluidos do olho, o que prejudica o bom funcionamento do órgão ocular e provoca danos à estrutura dos olhos. Podem ser sinais do glaucoma a vermelhidão nos olhos, piscar excessivo, lacrimejamento e mesmo mudança de comportamento do animal.

A catarata é outro fator que pode causar cegueira no animal. A doença causa alterações nas lentes dos olhos, deixando-o com uma coloração esbranquiçada ou azulada, o que impede a entrada de luz e a formação das imagens. Embora as pessoas associem a catarata aos animais idosos, a doença pode acometer os jovens da mesma forma.

O cherry eye, também conhecido como olho de cereja, é a protusão da glândula lacrimal do olho, caracterizada por uma bolinha vermelha no canto dos olhos. A condição faz com que os olhos produzam muitas lágrimas, levando o animal a coçar a região com frequência até sangrar, o que pode ocasionar em uma infecção.

Dessa forma, é muito importante que o tutor observe seu pet constantemente para identificar possíveis alterações na aparência e comportamento dele. Caso o animal apresente algum dos sintomas citados acima, é indicado procurar um médico veterinário especializado em oftalmologia, para que ele mensure a pressão ocular do animal, averigue a produção de lágrimas, entre outros exames que podem ser realizados, para que o melhor tratamento seja recomendado.

Fonte: Prefeitura de São Paulo, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Check-up pode evitar diagnóstico tardio de câncer de próstata

Diabetes em pets: esteja atento aos sinais

Seu cachorro te encara? Entenda o que isso quer dizer

Compartilhe este artigo agora no