Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Diabetes em pets: esteja atento aos sinais

Saber quais precauções tomar é essencial para prevenção e diagnóstico da doença
Por Equipe Cães&Gatos
dog
Por Equipe Cães&Gatos

Dados do Ministério da Saúde de 2021 apontam que a diabetes atinge quase 17 milhões de adultos no Brasil. No caso dos cães, a porcentagem é de 1,3% e, em gatos, de até 1%. Os dados são de especialistas do Nouvet, centro veterinário de nível hospitalar em São Paulo (SP).

Médica-veterinária endocrinologista, Victória Rodrigues detalha sobre como a doença atinge os pets. “A diabetes primária, caracterizada pela destruição das células responsáveis pela produção de insulina, é mais comum em cães. Já a diabetes secundária é a mais diagnosticada em gatos e envolve a deficiência relativa ou absoluta de insulina, mais a presença de resistência insulínica”, comenta.

Algumas raças caninas têm maior predisposição genética, como Cocker Spaniels, Golden Retrievers, Labradores, Lulus-da-Pomerânia, Terriers, Poodles Toy e mestiços dessas raças. Já em relação à predisposição racial dos felinos, os veterinários alegam que é mais complicado afirmar; porém, alguns estudos apontam que os Birmaneses, Noruegueses da floresta, Abissínios e Tonquineses são os mais acometidos.

Close-up of a Munsterlander dog with a tired face.
Mudanças no comportamento, por exemplo, podem ser indicadores que o pet está com início da diabetes (Foto: reprodução)

Estar atento aos sintomas e predisposições são fatores primordiais no combate e na prevenção da doença. Mudanças no comportamento, por exemplo, podem ser indicadores que o pet está com início da diabetes. “Cansaço, diminuição da interação com os membros da família e descuido com a aparência do pelo (redução do grooming) são alguns dos fatores”, comenta o endocrinologista do Nouvet, Igor Guedes.

A dor associada a neuropatia diabética, isto é, dores ao se movimentar (mais frequente em felinos), além de irritabilidade/dor ao toque nos membros acometidos, também são pontos de atenção. Outros sintomas evidentes são perda de peso, aumento do apetite, aumento da sede e da ingestão de água, aumento do volume de urina e quantidade de micções.

Para efetuar um diagnóstico quando há suspeita da doença, os veterinários realizam associação dos sinais clínicos e exames complementares, dentre eles, hemograma e perfil bioquímico básicos, com mensuração da glicemia em jejum, presença de glicose na urina e ultrassonografia abdominal.

Em felinos, por apresentarem hiperglicemia por estresse mais marcante em comparação a outras espécies, são associadas outras ferramentas para diagnóstico: frutosamina/hemoglobina glicada, além da glicose sanguínea.

Como prevenir e que cuidados os tutores devem ter

Os endocrinologistas do Nouvet explicam que a principal forma de prevenir complicações da diabetes nos pets é manter visitas regulares ao veterinário para realizar check-ups, permitindo a identificação precoce da doença, além de se atentar aos sinais clínicos. 

Outras orientações são garantir que os bichinhos tenham uma alimentação adequada, pois auxilia no controle da glicose e de lipídios no sangue; realizem exercícios físicos regularmente; e mantenham o controle do peso.

Não só quanto à diabetes, mas também outras doenças, como de fígado e da vesícula biliar, a orientação é evitar ou limitar o fornecimento de petiscos para suprir necessidades emocionais ou como expressão de carinho aos pets. Esse “carinho” pode trazer sobrepeso, obesidade e hiperlipidemia, ou seja, altos níveis de gordura no sangue.

Em caso de dúvidas quanto à orientação, ou se o pet se mostra refratário ao tratamento proposto pelo clínico geral, é importante orientar o atendimento com endocrinologista veterinário, e/ou nutrólogo veterinário.

Fonte: Nouvet, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Felinos selvagens e domésticos: as diferenças evolutivas

Seu cachorro te encara? Entenda o que isso quer dizer

Funcionários recebem plano de saúde veterinário

Compartilhe este artigo agora no