Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Conhecimento legal dos tutores influenciam bem-estar canino

Além disso, conhecer alguns padrões de cuidados com o pet traz benefícios à sua vida
Por Equipe Cães&Gatos
foto-estudo
Por Equipe Cães&Gatos

Um estudo conduzido on-line com tutores de cães no Chile revelou que o bem-estar e o comportamento desses animais estão diretamente relacionados aos cuidados prestados por seus tutores e ao conhecimento destes sobre a legislação vigente.

A pesquisa também destacou que a falta de consciência em relação às necessidades dos cães e às regulamentações legais pode acarretar consequências negativas na saúde e no comportamento deles.

20% dos cães estudados apresentavam sobrepeso ou obesidade (Foto: reprodução)

A análise apontou que 20% dos cães estudados apresentavam sobrepeso ou obesidade e aqueles que não recebiam sobras de comida tinham menor probabilidade de serem obesos. Além disso, observou-se que cadelas castradas eram menos propensas a apresentar obesidade do que cães machos também castrados.

“Só com uma maior consciência e compreensão das necessidades dos cães por parte dos tutores, assim como das responsabilidades legais dos mesmos, é que o bem-estar dos animais pode ser assegurado”, consta na pesquisa.

Em relação ao comportamento agressivo, a análise concluiu que 24,6% dos tutores relataram que os seus cães demonstraram agressividade contra pessoas, enquanto 51,1% demonstraram agressividade para com outros animais. Fatores como não levar o cão a passear aumentou o risco de comportamento agressivo, refere o estudo.

Além disso, o desconhecimento moderado ou total sobre a legislação em vigor aumentou também a probabilidade de os cães não serem identificados com microchip, não serem registados, não manterem as suas vacinas em dia ou não serem esterilizados. “Estes resultados reforçam a necessidade de uma estratégia educacional eficaz, que utilize uma abordagem multidisciplinar para melhorar as práticas de cuidar de um animal de companhia”, aparece no estudo.

De acordo com a investigação, estes resultados reforçam a necessidade de uma estratégia educacional eficaz, que utilize uma abordagem multidisciplinar para melhorar as práticas de cuidar de um animal de companhia. Desta forma, a análise enfatiza ainda que só com uma maior consciência e compreensão das necessidades dos cães por parte dos tutores, assim como das responsabilidades legais dos mesmos, é que o bem-estar dos animais pode ser assegurado.

No total, foram entrevistados 5.216 tutores que possuíam animais de companhia, dos quais 3.809 tinham, pelo menos, um pet (77,6%).

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:

Cães registraram problemas comportamentais pós-pandemia de Covid-19

Pote de água de pets pode abrigar o mosquito transmissor da dengue

Sedentarismo e má alimentação podem deixar cães e gatos obesos