in

CRMV-SP promove palestra on-line sobre Homeopatia Veterinária em casos agudos

Tratamento restitui o equilíbrio funcional do organismo e a resposta é diretamente proporcional ao tempo de instalação da doença

Seguindo a série de encontros on-line, realizada pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), por meio da Comissão Técnica de Homeopatia Veterinária (CTHV), na próxima terça-feira (07), às 19h, o tema abordado será “Homeopatia para casos agudos – como funciona?”. A palestra será ministrada pelo médico-veterinário José Agostinho Tomazella, membro da CTHV e professor convidado do Instituto Homeopático e de Práticas Integrativas (IHPI) de Ribeirão Preto. 

homeopatia
Para estabelecer um tratamento homeopático para os pets, é preciso considerar toda a história de vida do animal e suas manifestações (Foto: reprodução)

“A Homeopatia é uma ciência completa e pode ser aplicada em praticamente todos os casos, desde que se consiga seguir os princípios e leis homeopáticas, até porque não há nenhum efeito residual, pois os medicamentos funcionam com doses infinitesimais e não intoxicam. Portanto, sempre haverá efeitos benéficos mesmo se associada a outras terapias”, argumenta Tomazella. 

Especializada em Homeopatia Veterinária (IHPI), mestre e doutora em Medicina Veterinária Preventiva, membro da diretoria da Associação Médico-veterinária Homeopática Brasileira (AMVHB), e presidente do IHPI e da CTHV/CRMV-SP, a médica-veterinária Talita Thomaz Nader ressalta que o foco do tratamento é o indivíduo, não há situações que contra indicam o uso de medicamentos homeopáticos. 

 “Podemos, inclusive, utilizá-los em associação com drogas alopáticas convencionais, auxiliando no processo de recuperação ou até minimizando possíveis efeitos colaterais medicamentosos, como no caso de tratamento quimioterápico”, explica Talita. 

Para estabelecer um tratamento homeopático para os pets, pondera a presidente da CTHV/CRMV-SP, é preciso considerar toda a história de vida do animal e suas manifestações, bem como suas características individuais, que envolvem aspectos comportamentais e biotipológicos. “A partir daí, é realizado um plano terapêutico individualizado, com a finalidade de reequilibrar o indivíduo, com foco na queixa principal. Os medicamentos prescritos podem ser adquiridos em farmácias de manipulação humanas ou veterinárias, ou ainda, fórmulas prontas industrializadas.” 

Doenças agudas 

Por doença aguda, explica Tomazella, entende-se qualquer mal estar ou enfermidade que possa perturbar a saúde temporariamente de um modo negativo, como febres altas, dores e nevralgias, assim como infecções bacterianas, virais ou parasitárias. 

“A maioria dessas doenças é autolimitada e se divide em três tipos: infecções agudas não recorrentes, exacerbação aguda de doenças crônicas e indisposições. Somente as infecções agudas não recorrentes requerem tratamento e devem seguir a constituição do indivíduo, então, a Homeopatia funciona restituindo a homeostase, ou seja, o equilíbrio funcional do organismo, e a cura se processa, rapidamente”, enfatiza o integrante da CTHV/CRMV-SP. 

Para Talita, este é um ponto interessante, pois há um mito bem difundido que diz que os medicamentos homeopáticos demoram a fazer efeito e, por isso, são poucos utilizados no tratamento de manifestações agudas. O tempo de resposta do organismo a um estímulo homeopático é diretamente proporcional ao tempo de instalação da doença. “Se utilizarmos Homeopatia para tratar uma doença de manifestação aguda e recente, em algumas horas, certamente o resultado aparecerá”, afirma a médica-veterinária. 

Qualidade de vida 

O tratamento homeopático para pacientes com doenças crônico degenerativas, de caráter irreversível, segundo Talita, está bem estabelecido e difundido. Nestes casos, o objetivo é gerar qualidade de vida, minimizando ao máximo os sintomas e, por consequência, o sofrimento do animal. 

“Medicamentos homeopáticos também podem contemplar uma esfera de ação mental ou comportamental, tornando o processo mais suave, inclusive, quando nos deparamos com pacientes terminais, onde os cuidados paliativos assumem um importante papel. Por este mesmo motivo, a Homeopatia também é a terapêutica de eleição no tratamento de distúrbios de comportamento, junto às técnicas de manejo adequadas. Portanto, é considerada altamente segura e eficaz”, ressalta Talita. 

Tomazella lembra que os medicamentos homeopáticos melhoram muito a qualidade de vida desses indivíduos com um custo muito menor de tratamento, respeitando o meio ambiente. “Perdem aqueles que não têm este conhecimento para tratar seus pacientes. De um modo geral, acredito que todos os médicos-veterinários deveriam conhecer a Homeopatia, e esta deveria fazer parte da grade de ensino obrigatório das universidades de Medicina Veterinária”, conclui. 

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM: 

Docentes e alunos de Veterinária do Ceunsp realizam projeto CED com gatos ferais

Levantamento do Instituto Pet Brasil indica que mercado pet teve alta de 14% em 2022

Veterinária explica a ocorrência de hiperplasias mamárias em gatas castradas 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CRMV-PB

Conselho Regional de Medicina Veterinária da Paraíba elege nova diretoria

comunidade

Instituto de Estudos Avançados da USP lança livro sobre comunidades e famílias multiespécies