in

Elanco lidera ações de conscientização sobre doença renal crônica em cães e gatos

“Março Amarelo” está em sua 7ª edição e terá materiais voltados a veterinários e tutores

Trabalhar mais em casa -uma das consequências da pandemia – aproximou ainda mais tutores de seus pets. Com o tempo maior de convivência, foi possível notar algumas de suas manias, bem como sinais em seus pelos ou outras características particulares. Tutores também começaram a perceber mais rapidamente sinais de desconforto ou mesmo enfermidades. Mas algumas doenças são difíceis de detectar e, por isso, requerem ainda mais atenção, como é o caso da Doença Renal Crônica (DRC). 

Esse é o conceito da sétima edição da campanha Março Amarelo, liderada pela Elanco Saúde Animal. Sempre compromissada com a saúde dos pets e, consequentemente, dos seus tutores, a Elanco preparou uma campanha informativa que visa ajudar na detecção precoce da Doença Renal Crônica, uma enfermidade que está entre as principais causas da redução da qualidade e expectativa de vida dos pets e cujos primeiros sinais são quase imperceptíveis.

A campanha terá como porta-voz oficial o médico-veterinário, especialista em clínica médica de cães e gatos e especializado em nefrologia e urologia de cães e gatos, além de presidente do Colégio Brasileiro de Nefrologia e Urologia Veterinárias (CBNUV), Luciano Giovaninni. “A DRC, no início do seu curso, costuma passar despercebida. Por isso, a campanha da Elanco é fundamental para alertar sobre os sintomas e auxiliar no diagnóstico precoce para que o pet receba o tratamento adequado o quanto antes”, afirma. 

As peças da campanha “brincam” com sinais dos pets, como um gato que parece que tem bigodes humanos, ou um cão com uma mancha no olho, assemelhando-se a um pirata. “A ideia é mostrar que tais sinais são fáceis de serem notados, mas os sinais da DRC não. Por isso, com materiais informativos e bastante didáticos, os tutores estarão mais aptos a identificar os primeiros sinais da doença ou, ainda que não identifiquem, lembrarão que o check-up é fundamental”, explica a coordenadora de Marketing de Pet Health da Elanco, Karina Toledo. 

O diagnóstico da DRC é mais frequentemente realizado quando já há perda de pelo menos 45% da função renal e os sintomas ficam evidentes apenas quando essa perda atinge 75%. Os principais sintomas são perda de apetite, emagrecimento, sede demasiada, urinar em excesso, diarreia e vômitos. “Quanto mais cedo a doença é descoberta, mais eficaz é o tratamento. Assim, é importante que os médicos-veterinários informem aos tutores sobre as características da enfermidade durante as consultas de rotina, antes de o animal apresentar sintomas, e solicitem os exames necessários para um diagnóstico precoce e indicação do tratamento adequado”, afirma a médica-veterinária e consultora Técnica da Elanco, Mariana Cappellanes Flocke. 

A Elanco, que já tem posição consolidada na linha de medicamentos cardiorrenais com a família Fortekor, agora obteve, também, a aprovação do Fortekor Flavour para a indicação do produto para o tratamento de cães com esta enfermidade. “Sempre obtivemos excelentes resultados com o medicamento no tratamento de gatos com DRC. Agora ficamos muito felizes em obter a comprovação de que seus benefícios se estendem também aos cães”, afirma Mariana, que destaca ainda que o medicamento também é indicado para tratamento da Insuficiência Cardíaca Congestiva em cães.

Ideia das peças da campanha é mostrar que alguns sinais são fáceis de serem notados, mas os sinais da DRC não (Foto: divulgação)

Ações

A sétima edição do “Março Amarelo” inclui visitas técnicas a hospitais e clínicas veterinárias, com distribuição de folders, brindes e realização de treinamentos, assim como dias de check-ups e momentos de conscientização de tutores quanto aos sinais da DRC. Além disso, a Elanco irá patrocinar a plataforma Vetsmart, um dos principais canais de comunicação com médicos-veterinários no Brasil. O tema também será abordado no podcast Movimento Elanco em um episódio especial que vai ao ar na última semana de março, com a médica-veterinária Dra. Maria Alessandra Del Barrio – a Malê, do canal @malevet.

Um webinar voltado a médicos-veterinários será realizado no dia 24 de março, com o tema “Diferenças na abordagem clínica da DRC em cães e gatos”, contando com a participação do Dr. Luciano Giovaninni e do especialista em Medicina Felina, Dr. Alexandre G. T. Daniel. 

Para falar diretamente aos tutores, a campanha compreende, ainda, ações com influenciadores digitais voltados ao universo pet, além dos médicos-veterinários. “Nosso objetivo é que o maior número possível de tutores seja impactado com informações sobre a DRC e que levem seus pets para realizar o check-up necessário”, reforça Karina.

O perfil da Elanco Pets no Instagram também será um canal para repassar informações sobre a doença, além de trazer a agenda completa de eventos. Por lá serão disponibilizados vídeos e outros materiais compartilháveis. 

Segundo a executiva, a Elanco compreende o quanto os animais de estimação são fundamentais para o bem-estar das pessoas e, como forma de promover o seu cuidado e lhes permitir uma vida mais saudável, busca levar cada vez mais informação e produtos inovadores a tutores e médicos-veterinários. “Oferecer conhecimento e informação sobre a Doença Renal Crônica, uma doença que está entre as principais causas da redução de expectativa de vida dos pets, pode fazer toda a diferença na vida dos animais e dos tutores. Assim, a campanha tem total sinergia com o que a Elanco acredita”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dados oficiais mostram que, nos últimos anos, várias espécies foram acometidas pela raiva

País europeu proíbe criação de Buldogue inglês e Cavalier King Charles Spaniel

Uso de cannabis medicinal na Veterinária impulsiona criação de grupo de trabalho no CRMV-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

alimento Prime

Em mês de comemoração de aniversário, Special Dog Company reformula a linha Prime

fiv e felv

Saúde dos gatos: AIDS e leucemia felina exigem tratamento adequado com especialista