in

Estudo mostra que microbioma canino leva seis dias para se adaptar a mudanças na dieta

Pesquisas apoiam a orientação habitual de mudar a dieta do animal gradualmente

Um novo estudo da Universidade de Illinois revelou que o microbioma intestinal dos cães começa a produzir novos químicos dois dias depois da introdução de uma nova dieta e estabiliza ao fim de seis dias.

“Os metabólitos mudam muito rapidamente, em alguns dias. As bactérias metabolizam-se reativamente e cuidam dos substratos que recebem na nova dieta. Depois, leva mais alguns dias para resolver a ordem dos micróbios, por assim dizer”, disse o investigador Kelly Swanson, citado pelo portal Animalshealth. 

A equipe de Kelly Swanson alimentou os cães com uma dieta comum de croquetes durante duas semanas antes de alterar abruptamente para novas dietas por mais 14 dias. Metade dos cães recebeu uma dieta enlatada rica em gordura e proteínas e a outra metade de croquetes ricos em fibra. Os investigadores recolheram as fezes dois dias após a mudança da dieta e de quatro em quatro dias depois. Em ambas as dietas, a equipe detectou mudanças nos metabólitos no segundo dia e na comunidade bacteriana no sexto dia.

O investigador nota que é preciso, ainda, uma investigação mais específica. Apesar de o estudo ter testado o efeito de uma mudança radical, Kelly Swanson refere que as pesquisas apoiam a orientação habitual de mudar para uma nova dieta gradualmente. 

“Muitas vezes, sugere-se que os animais de companhia mudem a sua dieta dentro de sete dias. O nosso estudo sugere que os micróbios podem mudar completamente dentro desse prazo. Quando mudamos a dieta, o corpo tem de se adaptar, mas os micróbios também têm de mudar. Se não estiverem numa situação satisfatória, acabam produzindo fezes macias ou flatulência. Portanto, provavelmente, é melhor fazer mais gradualmente em casa do que no laboratório”, conclui.

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Pesquisa revela que Shih-tzu é a segunda raça de cães mais querida do Brasil

Agosto Verde: mês do combate à leishmaniose chama atenção para a prevenção da doença

Estudo mostra que tutores de cães gastam o dobro do que os de gatos por mês

(Foto: reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

prêmio CRMV-SP

CRMV-SP recebe indicações para prêmios que homenageiam veterinários e zootecnistas

dragão barbado

Pets exóticos exigem cuidados diferentes dos tutores comparados a cães e gatos