Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Felinos ganham espaço nos lares brasileiros

População de gatos supera crescimento observado no mercado canino
Por Equipe Cães&Gatos
Little cat
Por Equipe Cães&Gatos

Países como Rússia, Estados Unidos e Japão já registram uma população maior de gatos do que de cães, o que reflete uma preferência crescente por esses animais, especialmente em áreas urbanas em que há grande verticalização por meio de prédios.  

Sua natureza independente e adaptabilidade à rotina urbana têm contribuído para sua popularidade, impulsionada também pela tendência de humanização dos pets, de acordo com o head da Indústria Pet na NürnbergMesse Brasil, responsável pela Pet South America, Pet Vet e Pet Experience, Guilherme Martinez. 

O mercado de animais de estimação, em constante expansão, tem visto nos últimos anos um crescimento exponencial, especialmente durante a pandemia. Nesse contexto, os felinos têm se destacado, superando o crescimento observado no do mercado canino. Este contexto foi analisado por especialistas no mesacast realizado pelo MBA USP/FMVZ, no dia 6 de fevereiro. 

Gray cat and his mistress of the house
Anteriormente, os gatos eram tratados de maneira semelhante aos cães; agora, os felinos recebem uma atenção mais específica (Foto: reprodução)

Martinez comentou o crescimento da população ao lado de Juliana Damasceno, fundadora da Wellfelis, doutora em Psicobiologia pela USP e especialista em Comportamento e Bem-Estar de Felinos, e Thiago Vendramini, coordenador do MBA em Mercado Pet USP/FMVZ e especialista em Pet Food de cães e gatos.  

De acordo com os especialistas, a desmistificação dos gatos tem sido fundamental no processo de popularização. A quebra de estereótipos e a compreensão da espécie têm permitido às pessoas redescobrirem a afetuosidade e tranquilidade desses animais.  

Juliana Damasceno destaca a importância de reconhecer as necessidades específicas dos gatos, o que resulta em serviços e produtos específicos para a espécie. “Há uma lacuna muito grande de conhecimento sobre a espécie. Há uma lacuna de serviços também, especializados para essa espécie que ainda permanece desconhecida”, pontuou. 

A medicina-veterinária também se adapta a essa nova realidade e reconhece a importância de abordagens diferenciadas no cuidado com os gatos. “Anteriormente tratados de maneira semelhante aos cães, os felinos agora recebem uma atenção mais específica, considerando suas necessidades comportamentais e a dificuldade em lidar com situações estressantes, como visitas ao veterinário”, disse. Serviços como atendimento domiciliar, terapia comportamental e cat sitters têm surgido para atender às demandas dos felinos, como apontado por Juliana. 

“O mercado tem acompanhado essas mudanças, oferecendo produtos e serviços voltados para o bem-estar e o enriquecimento ambiental dos gatos”, disse Martinez. Desde móveis específicos até rações úmidas, as opções para atender às necessidades dos felinos têm se diversificado, refletindo uma maior compreensão das peculiaridades dessa espécie. 

Diante desse cenário, é fundamental que os empreendedores da área busquem conhecimentos específicos para trazer inovações para este mercado de pets felinos. “Desta forma, o mercado preenche lacunas e contribui para oferecer maior bem-estar aos gatos”, ressaltou Thiago Vendramini.  

Fonte: MBA USP/FMVZ, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Estudo indica que tamanho dos cães influencia saúde do animal

Patas curtas do gato Munchkin conquistam redes sociais

Pet com “tremedeira”: pode ser frio ou até mesmo intoxicação