Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Filhote de onça-pintada resgatado em região de queimadas se adapta ao novo lar 

Xamã recebeu ajuda da Proteção Animal Mundial em parceria com o Instituto Ecótono e a Associação Onçafari
Por Equipe Cães&Gatos
filhote
Por Equipe Cães&Gatos

Bem adaptado ao novo lar, um território paraense de 15 mil m² na floresta amazônica onde aprende a desenvolver os comportamentos típicos da espécie, Xamã, filhote de onça-pintada que foi resgatado em agosto de 2022, em nada lembra aquele filhote assustado acuado por cães. Após se perder da mãe, durante um incêndio provocado por queimadas em Sinop (MT), o felino foi encontrado e resgatado em estado preocupante de desidratação.

Quinze meses depois, Xamã, que atualmente tem um ano e dez meses, continua crescendo e ganhando forças no seu processo de reabilitação. Até o final de 2024, ele pode se tornar o primeiro macho de onça-pintada a ser reintroduzido na Amazônia. 

“No Dia Nacional da Onça-Pintada, o Xamã é motivo de orgulho não só para quem atua na causa animal, mas também, para quem gosta, respeita e entende o papel que a vida silvestre representa na manutenção dos biomas e, consequentemente, do clima. As queimadas criminosas, que ocorrem principalmente por conta das atividades do agronegócio, colocam em risco a vida não apenas das onças-pintadas, mas também de uma imensa variedade de animais silvestres”, afirma a coordenadora de Vida Silvestre da Proteção Animal Mundial, Júlia Trevisan.

Xamã continua enfrentando desafios ambientais. A recente seca histórica na Amazônia é uma delas, além das altas temperaturas que têm afetado diversas regiões do Brasil. Para lidar com o calor, a onça-pintada busca refúgio em um dos ambientes mais frescos, o açude. No local, o felino também exercita o comportamento predatório, caçando pequenas aves. No processo de adaptação, Xamã, que não se mostra receptivo a presença humana, tem pouco contato com os cuidadores. Essa ferocidade é positiva para sua reintrodução na natureza. 

A onça-pintada é um animal que ocorre em outros biomas do Brasil e está sob ameaça em todos eles por conta das atividades humanas (Foto: reprodução)

“É muito importante que as onças tenham essa aversão aos humanos, para que não sejam alvos fáceis de caça. Se elas associarem um humano como alguém que fornece alimento e cuidados, não vai ter o instinto de fugir de pessoas. Isso acaba deixando esses animais mais vulneráveis em vida livre e alvos fáceis de caça”, explica Julia.

Assim que for solta, a onça-pintada vai receber um colar de geolocalização. O monitoramento à distância será para garantir que o Xamã se sairá bem ao ser reintegrado à natureza sem nenhuma ajuda humana. 

Impacto nos biomas

“A onça-pintada é um animal que ocorre em outros biomas do Brasil e está sob ameaça em todos eles por conta das atividades humanas, especialmente a agressiva expansão do agronegócio, que abusa do fogo para desmatar vegetação nativa”, aponta Júlia. Nos primeiros dias do mês de novembro, 989 mil hectares foram devastados pelo fogo no Cerrado, número 26,9% superior ao mesmo período de 2022, segundo dados oficiais.

Para o diretor de operações da Associação Onçafari,  João Almeida, o impacto para as onças-pintadas afeta todo o ecossistema.“As onças são estratégicas para a manutenção do equilíbrio dos biomas, já que estão no topo da cadeia alimentar e, consequentemente, controlam a população de animais predadores. É importante destacar que, além do Cerrado, o Pantanal, outro bioma fundamental para a conservação das onças-pintadas, também foi muito impactado pelo fogo em 2023”, explica. 

Mas João alerta que a destruição no Pantanal teve motivos diferentes. “O que os dados disponíveis revelam é que, no Pantanal, o que favoreceu os grandes incêndios foi uma conjuntura de fatores. Excesso de biomassa (natural) disponível para queima. Solo, vegetação e atmosfera extremamente secos. Muito calor, ventos fortes e raios. Mais a falta de estratégias e planos operativos de fogo para atuar em focos que surgiam em algumas propriedades privadas e em Parques Estaduais, que levaram à formação de incêndios gigantescos e fora de controle”, encerra.

Fonte: Assessoria de Imprensa, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Inteligência artificial é concorrente desleal para os médicos-veterinários?

Simpósio Brasileish conclui mais uma edição enriquecedora aos participantes

Veterinário lista benefícios de alimentação e petiscos naturais para os pets

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!