Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Hotel para cães é opção para final do ano, mas exige cuidados

Hospedagem é uma excelente oportunidade de recreação e socialização
Por Equipe Cães&Gatos
west-highland-white-terrier-senta-se-em-uma-mala-de-viagem-um-cachorro-branco-em-uma-mala
Por Equipe Cães&Gatos

Com a chegada das festas de fim de ano, muitos tutores se preocupam em garantir o bem-estar de seus queridos pets durante as celebrações. Na hora de viajar, quando não é possível levar o animal para as férias, é normal optar pela hospedagem em hotéis específicos para eles.

De acordo com o adestrador e sócio do Patinhas Urbanas, Richardson Zago, esse serviço oferece não apenas um ambiente familiar e confortável para os animais, mas também a oportunidade de desfrutar de atividades recreativas e cuidados especiais. 

Mas, antes de enviar seu pet para as férias dele, é preciso pensar em uma adaptação confortável. Imagine a situação: ele está confortavelmente instalado em sua casa, familiarizado com sua cama, espaço designado para comer e seguindo sua rotina diária. De repente, surge a necessidade de uma viagem, e o cachorro enfrentará a perda desse ambiente acolhedor. 

Para Zago, essa mudança pode representar um grande desafio emocional. “Para minimizar o impacto e facilitar uma adaptação mais rápida, é crucial realizar uma preparação adequada e inseri-lo, gradualmente, nesse novo ambiente. Por isso, é importante o teste de adaptação do pet antes da hospedagem. Isso cria uma transição menos traumática, garantindo seu bem-estar emocional”, pondera.

Mudança de ambiente pode representar um grande desafio emocional, por isso, é preciso investir em uma adaptação com os profissionais da hospedagem (Foto: reprodução)

Por isso, cuidados na socialização são cruciais para assegurar que os pets se sintam acolhidos durante a hospedagem. Inicialmente, é realizada uma adaptação para entender seu comportamento diante do novo ambiente e de outros animais. 

“Durante esse período, observamos atentamente suas reações, introduzindo-o a diferentes espaços, cheiros, outros cachorros e pessoas. O objetivo é permitir que ele desenvolva gradualmente sensações positivas em relação a esse cenário. Uma vez familiarizado, ele pode ir embora. Se retornar para uma segunda visita, já terá memórias positivas da experiência anterior. Caso notemos alguma dificuldade na socialização, incentivamos mais visitas, construindo uma associação positiva com o local e as interações”, afirma Zago.

Para evitar a sensação de abandono, os pets são inseridos em uma rotina ativa durante a hospedagem, garantindo que cheguem à noite cansados e desejem descansar naturalmente. Essa iniciativa evita que fiquem ociosos e pensem que foram abandonados, já que terão experiências com momentos agradáveis.

Mas, e durante as festividades, quando fogos de artifício se intensificam, o que os hotéis precisam fazer? A estratégia de Zago é associá-los aos momentos de brincadeira e diversão. “A ideia é ter um ambiente tão descontraído que o cão nem perceba os barulhos das comemorações. Já para garantir um sono tranquilo à noite, preparamos um espaço fechado equipado com televisão, com músicas de relaxamento e cromoterapia. Também utilizamos material de Drywall nas instalações, que, consideravelmente, reduz o som. Esse conjunto de medidas abafa os ruídos externos, criando uma atmosfera calma. Mas, se mesmo assim o pet estiver aflito, ele é mantido ao lado dos monitores, que possuem treinamentos específicos para lidar com esse tipo de situação”, comenta.

Neste novo espaço para o pet, quando necessário, manter a administração de medicamentos é essencial. E, mesmo quando o tutor se ausenta, garantir que o animal continue com essa rotina pode se tornar desafiador. 

Garantir que o animal fique calmo durante as perturbações das festas de fim de ano, como os fogos de artifício, é essencial para garantir uma hospedagem benéfica (Foto: reprodução)

“Mesmo em meio a festividades ou outras ocasiões que poderiam complicar a manutenção do tratamento, a hospedagem dedicada assegura esse cuidado. Além disso, vale ressaltar que é de extrema importância observar também todo tipo de alergia e restrições alimentares que o hóspede tem. Por isso, é essencial uma equipe bem treinada e um controle rígido da organização na hora de administrar, tanto a alimentação quanto os medicamentos”, completa Zago.

Ele conclui que é preciso observar bem quais são os serviços oferecidos pelo local e o seu nível de excelência, permitindo respeitar os limites e interesses individuais do animal. “Recomendo sempre aplicar a mesma lógica quando escolho o meu próximo destino de férias: se aprecio praia, campo, se gosto de me hospedar na casa de parentes ou em um hotel. Afinal, as férias só são válidas se unem boa experiência, memórias agradáveis e segurança, não é mesmo? É assim também com o seu bem maior: o filho de quatro patas”, finaliza.

Fonte: Assessoria de Imprensa, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Toxoplasmose pode ser evitada com medidas simples de higiene

Carteirinha de vacinação deve ser atualizada para férias

Veterinárias citam principais doenças infecciosas em cães e gatos recém-nascidos 

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!