in

MG: animais do zoológico de Uberlândia ganham enriquecimento ambiental

Cardápio e utilização de espaços nos recintos são utilizados para simular o habitat natural

Um cardápio criativo e com incrementos a cada semana faz parte da rotina dos cerca de 150 animais que habitam o Zoológico Municipal de Uberlândia, no interior de Minas Gerais. O processo conhecido como ‘Enriquecimento Ambiental’ é aplicado de forma permanente e trabalha cinco frentes que simulam o habitat natural e otimizam a qualidade de vida das espécies: alimentação, cognição, sensorial, físico e social.

O trabalho adotado pela Prefeitura de Uberlândia desde 2019, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos, segue planejamento conforme necessidades específicas de cada espécie, com adaptações que consideram a época do ano. Para as altas temperaturas do verão, o cardápio é dominado por folhas, frutos e flores. Além de picolés de carnes, a ingestão de água é incrementada com outros alimentos, como gelatinas. Para as baixas temperaturas, alimentos mais calóricos como castanhas e nozes.

A dieta é elaborada por zootecnista com apoio de médica-veterinária e bióloga. Para ter um alto nível de qualidade, os alimentos são adquiridos com empresas selecionadas por meio de licitação.

“Geralmente, utilizamos utensílios que eles conseguem acessar, como casca de melão e côco, e copinhos para os primatas. Tudo pensando na habilidade do animal e no local do recinto que ele mais utiliza, pois, além de aliviar o calor, a prática estimula a cognição e o comportamento natural que ele teria na natureza”, destacou a médica-veterinária Andressa Afonso Borges.

A dieta é elaborada por zootecnista com apoio de médica-veterinária e bióloga (Foto: divulgação)

Benefícios amplos

Os benefícios do Enriquecimento Ambiental têm foco cognitivo e físico, com a disposição de itens que estimulam a inteligência e habilidade de explorar os recintos. Com a oferta de um banquete com variados sabores, aromas e texturas é estimulado o fator sensorial. Enquanto o benefício social é atendido com a junção de animais da mesma espécie e que têm o hábito de viver em grupos.

O diretor do Zoológico Municipal, Amado Junior, destaca que o trabalho diário tem foco em contribuir para que o Zoológico seja um grande centro de recuperação e cuidado para animais silvestres que não possuem condição de integrar o seu habitat.

“Além da educação ambiental, pesquisa e lazer, nossa função é a preservação e conservação. Para isso, seguimos as diretrizes da gestão municipal em trabalharmos, principalmente, para que os animais tenham uma condição de saúde adequada e um bem-estar tranquilo, se sentindo assim em ambientes mais ligados à área de cada espécie”, concluiu.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dia dos Animais: Biólogo comenta década de restauração de ecossistemas da ONU

Estudo analisa padrões cardíacos de lobos-guará em busca de preservação da espécie

CRMV-BA divulga levantamento inédito sobre o impacto da pandemia na Veterinária

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

outubro rosa pet

Simples palpação ajuda a prevenir câncer de mama nos animais de companhia

outubro rosa animais

PremieRpet promove live solidária sobre a prevenção do câncer de mama em pets