in

Nova temporada de “Zoo de San Diego” mostra esforço para salvar espécies em risco

Série da Animal Planet reúne histórias engraçadas e comoventes sobre animais

O Animal Planet desvenda os bastidores da estrutura gigantesca que faz O Zoológico De San Diego (The Zoo: San Diego) funcionar, com a estreia da segunda temporada da série, a partir do dia 18 de setembro, às 18h.

Cada um dos episódios inéditos acompanha as tarefas diárias que acontecem longe dos visitantes – de limpeza dos recintos e cuidados veterinários especializados ao andamento de projetos para preservação de espécies e readaptação de animais à natureza selvagem.

O Zoológico De San Diego é o lar de mais de 15 mil animais. Fundadas em 1916, as instalações combinam a tradição de um século com infraestrutura tecnológica e projetos de preservação ambiental que vão muito além da cidade californiana: são inúmeras as parcerias com institutos de pesquisa e proteção animal do mundo todo.

Além de imagens exclusivas que documentam a ação em locais de acesso restrito, os episódios trazem entrevistas com veterinários, biólogos e técnicos que cuidam da saúde e bem-estar dos habitantes do zoológico. A partir dessas imagens e relatos, a série conta histórias engraçadas e comoventes de animais que ajudam a retratar os intensos trabalhos desenvolvidos por pesquisadores e especialistas.

O primeiro episódio da segunda temporada apresenta Omeo, um coala órfão que só sobreviveu devido aos cuidados que recebeu no zoológico. Os coalas são marsupiais e os filhotes da espécie precisam permanecer junto ao corpo da mãe, na bolsa chamada marsúpio, até que completem seu desenvolvimento. Aos sete meses, Omeo ainda vive em uma incubadora e recebe leite em mamadeira. O animal já consegue escalar um coala de pelúcia, contrariando as expectativas pessimistas quanto a suas chances de sobreviver.

Depois, as câmeras visitam o casal de hipopótamos Funani e Otis. Funani está à espera de um filhotinho e a equipe responsável por esses mamíferos está na expectativa para o momento do parto. Os dois chegaram ao zoológico como parte de um programa de reprodução em cativeiro que vem trazendo resultados animadores.

O episódio também vai ao Quênia, onde está em fase de testes uma fórmula criada pelo zoológico de San Diego para alimentar filhotes de elefante. O projeto para salvar elefantinhos órfãos, cuja maioria teve suas mães mortas por caçadores clandestinos, conta com parceria do Santuário Reteti, localizado no Quênia, e o intercâmbio entre as equipes de ambas as instituições é constante.

De volta ao zoológico, Sanaa é uma fêmea de guepardo que, provavelmente, está prenhe, mas monitorar um dos felinos mais velozes e ariscos do mundo é tarefa quase impossível. A espécie está ameaçada de extinção e a possível gestação de Sanaa é mais um indicativo da eficiência dos projetos de reprodução em cativeiro desenvolvidos no zoológico.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinárias, com diferentes carreiras, apontam as realizações dentro da profissão

Conselhos de veterinária realizam campanha “Veterinários. Médicos com V de vida”

Mais estudos sobre a saúde mental de veterinários brasileiros podem evitar suicídios

(Foto: divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Semambra Universidade Federal Fluminense

Curso de Medicina Veterinária da UFF realiza a Semana Acadêmica Américo Braga

bolsa Morris Animal Foundation

Graduanda da FMVZ-Unesp, campus Botucatu, ganha bolsa da Morris Animal Foundation