Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Destaques, Marketing e Produtos

Nutrientes x ingredientes: entenda a abordagem nutricional da Royal Canin

Marca prioriza os nutrientes ao invés de ingredientes como forma de entregar a máxima precisão nutricional
Por Equipe Cães&Gatos
nutrientes
Por Equipe Cães&Gatos

Cláudia Guimarães, de Descalvado (SP)

claudia@ciasullieditores.com.br

Você, médico-veterinário ou tutor de cães e gatos, já notou, observando a prateleira de alimentos para animais de companhia no petshop, que muitas marcas destacam os ingredientes utilizados no alimento em sua embalagem? Agora, outra pergunta: já percebeu que os alimentos da Royal Canin não trazem essa ilustração em seus pacotes?

Se não percebeu ou não sabe a razão dessa escolha, eu te conto! A equipe da Cães e Gatos teve a oportunidade de visitar a unidade fabril da Royal Canin, localizada em Descalvado (SP). Todos os espaços da planta, bem como cada detalhe da fabricação e controle de qualidade foram expostos e as porta-vozes também explicaram o embasamento por trás das embalagens.

A médica-veterinária e coordenadora de Comunicação Científica, Priscila Rizelo, salienta a complexidade de criar alimentos balanceados para animais de estimação. “Com uma média de 50 nutrientes em cada alimento, formular produtos de alta qualidade é um quebra-cabeça desafiador. Por isso, a abordagem da Royal Canin vai além dos ingredientes e concentra-se nos nutrientes neles contidos. Um exemplo dessa filosofia é a utilização de óleo de microalgas em nossa linha de alimentos para filhotes, um ingrediente inovador e sustentável”.

Priscila conta que a Royal Canin projeta todos os produtos com base nas necessidades específicas de gatos e cães, levando em consideração fatores como crescimento, tamanho, raça, sensibilidades, fase de vida, etc. “A qualidade é crítica, desde a seleção rigorosa de fornecedores até a análise das matérias-primas para garantir a conformidade com os rígidos padrões da empresa. Além da qualidade nutricional, a Royal Canin garante a ausência de contaminações físicas, químicas e microbiológicas, como a Salmonella, para proteger tanto animais, quanto seres humanos”, compartilha.

Marca está comprometida em fornecer saúde por meio da nutrição, garantindo que os animais tenham uma vida mais longa e de melhor qualidade (Foto: divulgação)

Processo de produção de alta qualidade

Essa preocupação com a Salmonella, mencionada pela veterinária, que pode ser perigosa para animais de estimação e seres humanos, leva a empresa a aplicar testes rigorosos em todas as etapas do processo de produção. “Todo produto final leva três dias para ser liberado, passando por um teste de detecção da Salmonella. Essa preocupação reflete a consciência da empresa de que os tutores, muitas vezes, lidam diretamente com o alimento de seus pets, tornando a saúde também dessas pessoas uma prioridade”, adiciona.

E, aqui, vale mencionar que a Royal Canin não utiliza aditivos para eliminar a Salmonella; em vez disso, busca garantir a ausência da bactéria em todas as etapas do processo, com a realização de testes microbiológicos e o controle de qualidade em todas as etapas de produção. “A empresa mantém uma divisão estrita em sua fábrica, com áreas dedicadas a diferentes funções para evitar contaminação”, revela.

Um mundo melhor para os pets

Toda essa preocupação em entregar alimentos de boa qualidade vem do fato de, segundo a coordenadora de Comunicação Corporativa da Royal Canin, Renata Senaga, a instituição ser comprometida com o bem-estar dos pets e carregar uma missão inspiradora e crenças sólidas. “Para a Royal Canin, acreditar no poder de transformação que os animais de estimação trazem para nossas vidas é fundamental. Por isso, nós estamos comprometidos em fornecer saúde por meio da nutrição, garantindo que os animais tenham uma vida mais longa e de melhor qualidade. Essa abordagem beneficia tanto os animais, quanto os humanos, criando um mundo melhor para todos”, afirma.

Renata declara que, ao longo de seus 50 anos de existência, a inovação tem sido a peça central da Royal Canin, graças ao comprometimento de seus associados, nutricionistas e cientistas. “Eles contribuíram para melhorar a saúde de milhões de gatos e cães e continuam sua busca por um futuro ainda mais promissor para os animais. Com o avanço da tecnologia, a empresa planeja inventar novos serviços e aprimorar a disponibilidade de seus produtos, sempre guiada pela ciência e pesquisa”, assegura.

Operações Globais

A Royal Canin opera 16 fábricas em todo o mundo, conta com dois centros de pesquisa, sete laboratórios e um centro de inovação. “Seu crescimento abrange mais de 120 mercados e envolve mais de 8 mil associados, nossos colaboradores. No Brasil, a empresa iniciou suas operações em 1990 e, desde 2002, faz parte da Mars Inc., uma empresa familiar de renome global. A Royal Canin se destaca em termos de rentabilidade e contribui significativamente para o crescimento do grupo”, menciona.

A Royal Canin tem um compromisso sólido com a sustentabilidade, baseado em três “P’s”: Pets, Pessoas e Planeta (Foto: divulgação)

Renata ainda conta que, no Brasil, a empresa possui mais de 400 associados, com escritórios em São Paulo, Descalvado e Campinas, além de uma fábrica em Descalvado e, um hub logístico em Descalvado um centro de distribuição no Rio de Janeiro/RJ e em Itupeva/SP. “A Royal Canin oferece mais de 200 produtos diferentes no Brasil, incluindo alimentos úmidos, importados e fabricados localmente, atendendo a quase 30 mil clientes. A marca é orgulhosamente a mais recomendada por médicos-veterinários, de acordo com a CVA Solutions. A Royal Canin é a marca com maior portfólio de alimentos para pets no mercado, seja eles produtos para animais saudáveis ou em tratamento”.

Sustentabilidade como compromisso

A Royal Canin tem um compromisso sólido com a sustentabilidade, baseado em três “P’s”: Pets, Pessoas e Planeta. A empresa acredita que um ecossistema próspero envolve tornar o mundo melhor para os pets, manter um planeta saudável e cuidar da saúde das pessoas, incluindo seus parceiros do setor. “A Royal Canin se comprometeu a atingir a neutralidade de carbono até 2025, por meio de várias iniciativas, como a transição para eletricidade renovável, a aquisição de ingredientes mais sustentáveis, a redução do desperdício, o aumento da circularidade e a integração de práticas de negócios sustentáveis”, elenca Renata.

Ela também salienta que todo o portfólio Royal Canin de alimentos para filhotes de gatos e cães são carbono neutro, além da linha de alimentos dedicada a gatos com sensibilidades e parte da linha destinada aos cães de raça.

LEIA TAMBÉM:

Turismo com animais selvagens: o que é positivo e negativo para as espécies?

CRMV-RJ é contra obrigação da V10 em cães sem prescrição

Novas autorizações para graduação à distância são suspensas

Compartilhe este artigo agora no