Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Os cinco principais cuidados que um pet idoso demanda

Seu animal ficou velhinho? Saiba como retribuir o companheirismo dele por você
Por Equipe Cães&Gatos
Lovely pets
Por Equipe Cães&Gatos

Todas as fases da vida do pet são especiais. Os filhotes são fofos, os adultos são os melhores companheiros, e os idosos, devem receber muita gratidão em forma de amor. Afinal, são companheiros para a vida toda.

Por isso, todo tutor deve saber quais são os principais cuidados com um pet idoso, atividades e práticas fundamentais para os animais de estimação.

Exercícios físicos

Assim como as atividades físicas nos fornecem diversos benefícios, os exercícios físicos moderados também mantêm a mobilidade e a saúde dos cães e gatos idosos. 

Porém, devido às necessidades físicas específicas dos mais velhos, é preciso adaptar a intensidade e duração das atividades conforme as suas capacidades físicas. 

“Lembre-se de nunca forçar nenhum tipo de esforço. Respeite o tempo e a capacidade física dos velhinhos, pois não é a intensidade que ditará os seus benefícios. Toda prática é válida”, afirmam os veterinários do Vet Quality Centro Veterinário.

A dog with different colored eyes. Elderly animal.
Ritmo deve ser desacelerado aos poucos quando falamos de pets idosos (Foto: reprodução)

Entre algumas dicas de atividades, estão as caminhadas, sempre uma boa opção de exercícios para pets porque eles mesmo ditam o ritmo. Quanto aos idosos, os passeios geralmente são lentos, e não dá nada de errado com isso.

Deixe-o explorar, farejar, cavar, fazer pausas e o que mais se sentir confortável. Na verdade, essas práticas os ajudam a fortalecer os seus instintos, na socialização, no humor e no bem-estar. 

Em relação ao ambiente, prefira um local com poucos obstáculos e o mais calmo possível, com espaço para o pet idoso se sentir seguro e confiante para aproveitar. 

Por isso, parques e praças são ótimas escolhas. Caso não tenha essas opções, prefira ruas tranquilas. 

Outra forma de estimulá-los é com atividades em casa, principalmente aos idosos mais carentes de disposição e mobilidade. Os brinquedos interativos, por exemplo, podem ser úteis até mesmo sem a supervisão do tutor. 

Mas, para isso, é preciso se atentar a alguns cuidados: descarte brincadeiras como o cabo de guerra ou que demandem muita força e energia; além disso, mordedores rígidos podem danificar a arcada dentária dos velhinhos – opte pelos mais macios. Dê preferência a brincadeiras que estimulem o cérebro promovem estímulos físicos e cognitivos, ambos fundamentais tratando-se de aumentar a qualidade de vida dos idosos.

A água também tem funções terapêuticas incríveis. Ela promove sensação de relaxamento, de bem-estar, e, dependendo da temperatura, alivia algumas dores. Entre elas, estão: piscina comum; piscina de plástico (de criança); mangueira; baldes e bacias com bolinhas e brinquedos, além de banho de chuveiro com brinquedos. 

Atenção: como a saúde dos pets mais velhos é mais frágil, faça as brincadeiras em dias com temperaturas amenas e com água em temperatura ambiente ou morna. Além disso, não os exponha ao frio e ao vento após as atividades. 

Lembre-se que cada bichano, antes da velhice, já tinha seus limites de tempo e intensidade. Para encontrar o tempo ideal, diminua alguns minutos do tempo em que ele costumava brincar ou passear. Exemplo: se aguentava 20 minutos de caminhada, tente diminuir para 10 e assim por diante;

Faça massagens pós-exercícios: para aliviar possíveis desconfortos, massageie o corpo do pet com movimentos suaves; e perceba os sinais de cansaço: ele está muito ofegante? Está resistente a continuar? Para descansar mais do que brinca? Então, está na hora de parar! 

Old dog banner
Saúde do seu melhor amigo também deve estar no radar (Foto: reprodução)

Realizar check-up

O check-up veterinário é muito importante para todos os bichinhos, nos cuidados com o idoso, ele é indispensável. Isso porque a saúde deles é mais sensível (baixa imunidade), e, nessa fase, eles estão mais suscetíveis às doenças de todos os tipos. 

Nesse caso, monitorar a saúde ocular, dentária, do coração, dos ossos, entre outras partes, é necessário tanto para prevenção quanto para diagnóstico e tratamento precoce.  

Além disso, o check-up é a única prática que poderá detectar doenças silenciosas e muito perigosas, assim como a carência de vitaminas e nutrientes. 

Ir às consultas de rotina

Consultas de rotina são fundamentais pelos mesmos motivos do check-up. Sem dúvidas, cuidar de cada aspecto físico é o que dará mais qualidade de vida e saúde aos pets.

Afinal, não adianta ter os melhores brinquedos e ração, sem checar informações como peso ideal, saúde do coração, pressão, articulação, etc. E, a única pessoa apta a realizar a checagem é um profissional. 

A frequência mais indicada é a cada 6 meses, ou sempre que notar algo diferente, como mudanças de comportamento, dificuldade para andar, falta de apetite, e algo fora do normal. 

Oferecer um ambiente seguro e confortável 

Na velhice, qualquer queda ou escorregão podem ser fatais. Então, um dos cuidados com pet idoso é oferecer conforto e segurança. Nesse caso, as principais orientações são: fornecer camas macias e de fácil acesso; evitar o acesso deles às escadas íngremes; deixar o ambiente livre de obstáculos que possam representar riscos; optar por escadinhas de pet em sofás e camas dos tutores, caso eles tenham costume de subir nesses lugares; manter o piso sempre seco, evitando derrapagem; e tomar cuidado com objetos no chão, principalmente os pequenos que podem ir à boca. 

The elderly countrywoman plays with a dog. Smiling senior woman playing with dog in yard.
É hora de retribuir todo o carinho demonstrado pelo pet (Foto: reprodução)

Fortalecer a alimentação 

As necessidades nutricionais de um pet idoso são diferenciadas, assim como acontece com os filhotes. Nesse caso, existem rações específicas para essa fase da vida e são comumente denominadas de ração sênior. 

Além disso, é interessante acrescentar alimentos naturais ricos em vitaminas e nutrientes, como verduras escuras, beterraba, batata, banana, arroz, peixes e carnes com pouca gordura – tome cuidado com os ossos e espinhos.

Mais uma vez, a orientação profissional e o check-up são importantes, pois é a partir dessas orientações que você seguirá com a alimentação do animal conforme suas necessidades. Afinal, cada pet é um pet, e, principalmente, os mais velhos têm demandas específicas. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dia dos Animais: quais os principais cuidados que devemos ter com os pets em casa?

Tutores têm dificuldade de reconhecer sinais de estresse em cães

Estudos mostram ligação entre saúde mental e convívio com pets

Compartilhe este artigo agora no