Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Pesquisa Radar Pet 2023 identifica novo perfil de relação entre tutores e pets

Estudo apresenta novo conceito de “Pet Lover” e subdivide em dois tipos, sendo o "Racional - que corresponde a 23% dos entrevistados; e o “Emocional” -, representando 32% deles
Por Equipe Cães&Gatos
foto-tutor-pet
Por Equipe Cães&Gatos

Com o avanço da indústria veterinária e a crescente variedade de produtos destinados aos cães e gatos, há o surgimento de um novo tipo de tutor, que busca proporcionar cada vez mais qualidade de vida, conforto e bem-estar para seus animais. Segundo dados da pesquisa Radar Pet 2023, realizada pela Comissão de Animais de Companhia (Comac) do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), esse perfil é agora conhecido como “Pet Lovers Emocionais” e representa a maioria, totalizando 32%, enquanto o grupo dos “Pet Lovers Racionais” compreende 23%. 

A configuração de novos lares na pandemia da Covid-19 contribuiu para a aproximação dessa relação tutor-pet (Foto: reprodução)

“Essa nova categoria considera os pets como membros legítimos de suas famílias e estão dispostos a investir em cuidados de alta qualidade, buscando os produtos mais avançados disponíveis no mercado para atender às necessidades de seus animais de estimação. Essa tendência emergiu em resposta ao crescente interesse das pessoas em proporcionar qualidade de vida e longevidade aos seus bichinhos, combinando cuidados essenciais com medidas preventivas,” explica Andrea Castro, Coordenadora da Comac). 

Em sua maioria, o grupo “emocional” é composto por mulheres com idade até 39 anos, incluindo solteiras, viúvas, divorciadas, sem filhos e se enquadram na classe social AB1. Membros da comunidade LGBTQIA+ também são predominantes nesta categoria. Geograficamente, esse tipo de tutor é encontrado na região Sudeste e moram tanto em residências quanto em apartamentos. 

Já o “Pet Lover Racional” é o perfil que busca equilíbrio entre razão e emoção e tende a ser do sexo feminino, com idades em torno de 40 anos, que geralmente vivem sozinhas e em apartamentos. Esses tutores pertencem predominantemente à classe social AB e estão distribuídos por todas as regiões do País. 

Diferentes fatores foram responsáveis pela mudança de comportamento que deu origem a essa nova relação. Isso inclui avanços significativos na medicina e na indústria veterinária, estilo de vida, o contínuo crescimento e a sofisticação do ecossistema de cuidados com a saúde e o papel cada vez mais importante dos veterinários na vida dos pets. A configuração de novos lares na pandemia da Covid-19 também contribuiu para a aproximação dessa relação, pois, durante o período, houve um aumento no número de tutores solteiros, viúvos ou separados, o que fortaleceu ainda mais o laço afetivo entre as pessoas e seus bichinhos. 

Em 2023, 29% das pessoas consideram seus cães como verdadeiros membros da família, em comparação com 25% em 2019. No que diz respeito aos gatos, 25% das pessoas agora têm essa relação de família, em comparação com 21% em 2019. Os números refletem a predominância do perfil de “Pet Lover Emocional” em 2023. 

Em sua maioria, o grupo “emocional” é composto por mulheres com idade até 39 anos, incluindo solteiras, viúvas, divorciadas e sem filhos (Foto: reprodução)

Outros perfis de tutores

Complementando os tipos de tutores, há ainda os “Desapegados,” que mantêm um vínculo emocional mais fraco com seus pets, preocupando-se principalmente com os cuidados básicos. Geralmente, são homens na faixa dos 50 anos, casados e com filhos. Eles pertencem à classe C e residem em casas nas regiões Centro-Oeste e Norte do País. 

Há também os “Amigos do Pet” que, em sua maioria, são mulheres com idades entre 30 e 59 anos, casadas e com filhos. Esses tutores, pertencentes à classe C e residentes no Sudeste e Centro-Oeste, possuem um forte vínculo com seus cães e gatos, considerando-os parte da família, apesar de terem pouco tempo para dar atenção devido às atividades diárias. 

“Segundo os resultados da pesquisa, em 2019, o grupo de tutores classificados como “Desapegados” representava 21%, enquanto este ano, esse número foi reduzido para 18%. “Essa diminuição evidencia o fortalecimento dos laços de afeto e carinho entre os donos e seus pets”, complementa Andrea. 

Demais dados

Há dez anos, os tutores concentravam-se principalmente nos cuidados básicos de seus animais de estimação, resultando em taxas de consultas preventivas de 15% para cães e 10% para gatos. Entretanto, em 2023, houve o aumento para 30% em cães e 21% em gatos no que diz respeito às medidas de prevenção. Agora, a atenção dos donos não está voltada apenas para as necessidades básicas, mas também para a qualidade de vida e longevidade dos pets. 

Com a constante evolução e sofisticação dos serviços, os cães e gatos estão se tornando cada vez mais presentes e incorporados à vida cotidiana. Segundo a pesquisa Radar Pet 2023, shoppings, hotéis, restaurantes, participação em atividades esportivas, creches e até mesmo viagens de avião são exemplos de onde eles estão ganhando presença crescente e se integrando à rotina das pessoas. Isso é um reflexo da crescente busca dos tutores por proporcionar uma qualidade de vida superior aos animais de companhia, que agora compartilham espaços tradicionalmente reservados para os seres humanos.

Fonte: Sindan, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Como reconhecer medicamentos veterinários falsos?

Estudo com veterinários portugueses alerta para a saúde mental

Personalidades participam de leilão beneficente contra abandono de animais

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!