Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Inovação e Mercado

Estudo com veterinários portugueses alerta para a saúde mental

Estressores ocupacionais podem estar ligados a um evento traumático no local de trabalho, conflitos entre colaboradores ou éticos
Por Equipe Cães&Gatos
foto-saúdemental
Por Equipe Cães&Gatos

O bem-estar pessoal e profissional dos profissionais que integram as equipes veterinárias tem merecido maior atenção na comunidade científica a nível mundial. Esta realidade motivou o estudo “Saúde Psicológica dos Profissionais de Medicina Veterinária em Portugal: Sintomatologia Depressiva, Ideação Suicida e Estressores Ocupacionais”, da autoria da psicóloga Vanessa Bulcão. Os resultados chamam atenção para o desenvolvimento de medidas de prevenção adequadas aos profissionais do setor.

O estudo, que surgiu no âmbito do mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde na Universidade da Maia, concluído no final de 2022, investigou a saúde psicológica dos profissionais de Medicina Veterinária em contexto português, nomeadamente os médicos-veterinários e os enfermeiros veterinários. “Pretendeu-se focar particularmente na sintomatologia depressiva e na ideação suicida identificando alguns dos principais estressores ocupacionais desta classe profissional, envolvidos no adoecimento psicológico desta população”, explica Vanessa Bulcão. A investigação constituiu uma amostra não-probabilística de conveniência constituída por 453 profissionais – 346 médicos-veterinários e 107 enfermeiros veterinários.

Estudo focou na sintomatologia depressiva e na ideação suicida identificando alguns dos principais estressores ocupacionais (Foto: reprodução)

A conclusão corroborou o teste de alguns dos estudos já vigentes de que os profissionais da Medicina Veterinária constituem uma população vulnerável. As suas experiências de saúde psicológica incluem situações ocupacionais traumáticas que requerem cuidado. “Os resultados deste estudo mostram que é necessária uma atenção especial no âmbito da Medicina Veterinária em contexto português” Esta pesquisa revelou níveis significativos de sintomatologia depressiva na amostra, tendo ainda revelado que os estressores ocupacionais inerentes às profissões em estudo podem ser multifacetados. “Existem estressores ocupacionais que podem estar ligados a um evento traumático particular no local de trabalho, conflitos entre colaboradores ou éticos. Outros tipos de stressores incluem stress emocional cumulativo que pode resultar num desfecho negativo na saúde e bem-estar destes profissionais”, sublinha a psicóloga.

Os resultados desta e de outras pesquisas chamam atenção para a necessidade de desenvolver medidas de prevenção adequadas aos profissionais de Medicina Veterinária. Na perspectiva da investigadora, estas medidas “consistem em intervenções que visam reduzir a ocorrência de problemas sociais, cognitivos, emocionais e comportamentais futuros e promover a construção de competências associadas à saúde psicológica/mental”.

Nesta base, o estudo sugere que as ações a desenvolver junto de profissionais passem por:

  • Intervenções baseadas na promoção e prevenção em saúde mental, centradas nas particularidades de cada profissão, “uma vez que vimos que os enfermeiros veterinários são um grupo vulnerável”;
  • Formação curricular baseada em literacia em saúde mental e que permita desenvolver a inteligência emocional, competências sociais e habilidades de comunicação;
  • Disponibilizar informações sobre recursos a que se pode recorrer em situação de crise;
  • Criação de uma linha de apoio, disponível 24h por dia;
  • Ações de sensibilização focadas na mudança de atitude das pessoas relativamente à procura de ajuda junto a um profissional da saúde mental;
  • Maior sensibilização da entidade patronal para o risco acrescido por parte de enfermeiros/as veterinários/as.

Vanessa Bulcão alerta ainda que “embora as conclusões do presente estudo sejam relevantes, devem ser consideradas também algumas limitações”, tendo em conta que “os dados e os resultados foram derivados de um desenho transversal de uma amostra de conveniência, assim as inferências causais não puderam ser extraídas. A utilização de um inquérito on-line limita a generalização dos resultados pelo caráter seletivo da amostra de participantes”.

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Assim como nós, pets também precisam escovar os dentes

Pets precisam de atenção redobrada durante as festas de fim de ano

CRMV-SP premia profissionais da Medicina Veterinária e da Zootecnia

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!