Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Por que os fogos de artifício afetam tanto os animais?

Pets como cães e gatos são os que mais sofrem nos períodos festivos
Por Equipe Cães&Gatos
cachorro-olha-pela-janela-e-observa-o-tiro-de-fogos-de-artificio-generative-ai
Por Equipe Cães&Gatos

Quem é tutor de pet já sente a tensão chegando conforme o final do ano se aproxima. Ou, até mesmo, dias de jogos decisivos de futebol. Isso porque os animais ficam aterrorizados pelos fogos de artifício e, muitas vezes, podem passar mal ou acabar fugindo.

Este problema sério levou à proibição de fogos barulhentos em várias cidades brasileiras, como São Paulo (SP), Cuiabá (MT), Campo Grande (MS), Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ) – beneficiando não somente animais, mas, também, idosos, autistas, bebês e doentes.

Casos graves de traumas em animais durante queima de fogos são comuns, além de casos de fuga e acidentes. Isso porque os cães possuem audição superior à dos humanos. Por isso, sofrem estresse com barulhos acima de 60 decibéis, conforme explica o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). 

Uma das causas dessa sensibilidade é o “erro de sociabilização”, que ocorre entre filhotes de cães e gatos com 21 a 90 dias de vida e pode gerar fobias a sons altos, como trovoadas e fogos de artifício.

Audição sensível faz com que animais percebam os sons muito mais altos e incômodos do que nós, humanos, os percebemos (Foto: reprodução)

A recomendação é que os animais mais sensíveis fiquem perto dos donos durante a queima de fogos para se sentirem mais seguros. E, para proteger os animais durante festas com fogos, o CFMV sugere medidas preventivas. 

É essencial que os animais tenham identificação na coleira com telefone e e-mail. Além disso, também é recomendado criar um ambiente tranquilo e familiar para o animal, incluindo espaços seguros e objetos com o cheiro do dono.

Alimentar e distrair o animal durante os fogos também é uma estratégia, além do uso de medicamentos calmantes em casos extremos (sob orientação veterinária). 

Seguindo estas orientações é possível ter uma virada de ano segura para os pets. 

Fonte: Diário do Centro do Mundo, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Prática secular trata pets por meio das cores

Cachorro arrastando o bumbum no chão, o que pode ser?

Alimentação lidera despesas com animais de companhia

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!