Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Marketing e Produtos

PremieRpet é a primeira indústria de pet food no Brasil a adotar energia 100% solar

Por Equipe Cães&Gatos
energia solar
Por Equipe Cães&Gatos

A PremieRpet sempre promoveu iniciativas sustentáveis em suas operações, em uma contundente demonstração de sua visão de futuro orientada à preservação do meio ambiente e bem-estar da sociedade. Para seguir com pioneirismo em sua caminhada ESG, a empresa anuncia que, a partir de abril de 2023, passará a ser suprida por energia solar, fonte 100% renovável, no abastecimento de todas as suas fábricas.

Esse importante marco de sustentabilidade da companhia acontece graças ao investimento na maior usina solar do Estado de São Paulo, localizada no município de Castilho, por meio de um contrato de fornecimento de longo prazo (PPA – Power Purchase Agreement) com a Comerc Renew, braço de geração do Grupo Comerc.

Com capacidade instalada de 270 MWp e investimento total de R$ 940 milhões, o Complexo de Castilho é o maior projeto solar do Estado de São Paulo. Ocupa uma área de 690 hectares, o equivalente a mais de 600 campos de futebol, onde conta com cinco unidades de geração e 600 mil placas de energia solar – como é conhecido popularmente o módulo fotovoltaico. Desse total, 120 mil placas serão destinadas para suprir 100% da demanda das quatro fábricas da PremieRpet, localizadas em Dourado (SP) e Porto Amazonas (PR).

A utilização de energia solar como fonte de energia alternativa apresenta inúmeras vantagens ao meio ambiente. É uma fonte energética renovável e em abundância no Brasil, onde há alta incidência da irradiação solar. Ela é chamada de energia limpa pois não emite gases poluentes causadores do efeito estufa, contribuindo para a descarbonização e a melhora na qualidade do ar.

Com a iniciativa de adotar a energia fotovoltaica, a PremieRpet alcança um feito inédito no setor de pet food e, sozinha, evitará a emissão de 16 mil toneladas de CO2 (dióxido de carbono) na atmosfera ao ano. Para se ter uma ideia, esse número é equivalente ao consumo anual de 16 mil residências com média de 4 pessoas ou à absorção de CO2 realizada por 110 mil árvores durante 30 anos.

“O Brasil é um dos países com maior índice de emissão de gases de efeito estufa no mundo e todos nós temos o desafio de transformar esse cenário. Por isso, é um orgulho anunciar que trabalharemos apenas com energia limpa, gerada por meio de fonte 100% renovável, sem emissão de poluentes ou impacto ao meio ambiente. Uma conquista que vai ao encontro de nossos valores e práticas ESG e tem total sintonia com nosso foco em produtos feitos com ingredientes naturais e os mais avançados conceitos nutricionais. Dessa forma, oferecemos não apenas os melhores alimentos, mas também contribuímos para um mundo melhor”, comemora a diretora de Planejamento Estratégico e Marketing Corporativo da PremieRpet, Madalena Spinazzola.

Complexo de Castilho (SP) entra em operação para fornecer energia solar às fábricas da PremieRpet (Foto: Grupo Comerc Energia)

Segundo a executiva, há muitos anos a empresa investe em potentes iniciativas sustentáveis. Uma das primeiras ações na companhia foi implementar o uso de eucalipto reflorestado para geração de energia térmica em suas operações fabris. Além disso, faz o reuso de água proveniente da chuva por meio de captação em lagoas e telhados, promove a iluminação natural em 75% dos espaços, zela pelo gerenciamento de todos os resíduos gerados nos processos produtivos e realiza a logística reversa.

“Todas essas medidas, entre outras diversas que fazem parte de nossa agenda socioambiental, já nos proporcionaram desde 2016 a certificação LEED – Leadership in Energy and Environmental Design (principal selo que reconhece edificações verdes que seguem padrões internacionais), conquista inédita no segmento. E agora celebramos mais este marco de impacto extraordinário e respeito aos milhões de tutores que confiam em nossas marcas para alimentar seus pets, considerados membros da família”, conclui.

”Como gestores de energia de mais de 2 mil grupos econômicos, nós, da Comerc, notamos um número crescente de empresas incorporando questões de sustentabilidade em suas decisões diárias, que refletem as preocupações de seus acionistas e clientes e levam em conta presente e futuro do negócio e suas partes interessadas”, afirma Aderbal Aragão, diretor comercial da Comerc Renew. “A decisão da PremieRpet de utilizar 100% de energia produzida por meio de fonte solar em suas unidades industriais reforça que o compromisso com a sustentabilidade está presente em suas ações”, finaliza.

O impacto do CO2

Popularmente conhecido como gás carbônico, o CO2 (dióxido de carbono) é um composto químico gasoso emitido principalmente pelo uso de combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural), desmatamentos e queimadas. Trata-se do gás de maior emissão pelos humanos em atividades da indústria, transportes, agricultura e pecuária intensiva, associado à poluição do ar e ao “efeito estufa” – assim chamado porque os gases retêm parte da radiação solar que chega ao planeta, elevando sua temperatura.

O aumento excessivo da concentração de gases do efeito estufa (GEEs) na atmosfera vem causando o “aquecimento global”, com consequências ao meio ambiente e à saúde humana. Daí a importância de reduzir sua emissão, bem como realizar a chamada “descarbonização”. Isso pode ser feito por meios diversos, como redução do consumo de energia, adoção de fontes de energia renováveis, reciclagem e economia circular, sistemas de reuso de água, recuperação de áreas degradadas, incentivo a plantios de árvores, programas de preservação ambiental e conscientização ecológica, entre outros.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Garantir saúde e bem-estar é a chave para fazer os animais mais felizes

Quantidade de alimento fornecida aos animais deve ser estabelecida por veterinários

Veterinárias comentam escolha por carreira focada em pesquisa

Compartilhe este artigo agora no