Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Que impacto ambiental assume a alimentação animal? 

Pesquisa da FMVZ-USP avalia efeitos de dietas secas, úmidas e caseiras para pets no ambiente
Por Equipe Cães&Gatos
foto-alimentos
Por Equipe Cães&Gatos

As dietas úmidas para animais de companhia possuem um impacto ambiental “substancialmente maior” e as dietas secas, na maioria dos casos, atingem uma menor pegada ambiental. É o que mostra o estudo desenvolvido pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, da Universidade de São Paulo (FMVZ-USP).

Este estudo teve como objetivo avaliar o impacto de dietas secas, úmidas e caseiras para animais de companhia na emissão de gases de efeito estufa, uso da terra, emissão acidificante, emissões de eutrofia, utilização de água doce, entre outros.

A investigação identificou uma correlação positiva entre a energia metabolizável fornecida pelos ingredientes de origem animal e o impacto ambiental. Nesse sentido, os investigadores notam ser “necessário considerar o impacto ambiental dos alimentos para animais de companhia, uma vez que é significativo, e a população de animais de companhia tende a aumentar”.

O estudo analisou um total de 938 dietas, 618 para cães e 320 para gatos (Foto: reprodução)

Se considerarmos um cão de 10 kg com uma ingestão calórica média de 534 kcal por dia, a sua pegada ambiental seria de 828,37 kg de CO2eq por ano, se consumisse dietas secas, ou 6 541 kg de CO2eq por ano, se consumisse dietas úmidas. Isso é consistente com 12,4 a 97,8% da emissão de um cidadão brasileiro, que é de 6,69 tCO2eq por ano, aponta o estudo. A mediana de CO2eq de uma dieta seca por 1000 kcal é de 4,25 kg e uma dieta úmida é de 33,56 kg.

Se extrapolarmos essa emissão para a população canina no Brasil, de 52,2 milhões, a emissão total estaria entre 0,04 e 0,34 Gt CO2eq por ano, o que representaria de 2,9 a 24,6% da emissão total estimada de 1,38 Gt para o Brasil.

O estudo analisou um total de 938 dietas, 618 para cães e 320 para gatos. Um total de 212 ingredientes foram identificados, com 46,2% de fontes animais e 53,8% de fontes vegetais.

Os cinco ingredientes mais comuns em dietas comerciais secas e húmidas foram farinha de subprodutos de aves (usada em 488 dietas), gordura de aves (em 478 dietas), farinha integral de milho (em 355 dietas), trincas de arroz (em 342 dietas) e polpa de beterraba (em 316 dietas).

Os cinco ingredientes mais comuns em dietas caseiras comerciais ou retiradas da internet foram cenoura cozida (em 134 dietas), abóbora cozida (em 79 dietas), batata-doce cozida (em 77 dietas), abobrinha cozida (em 74 dietas) e chuchu cozido (em 73 dietas).

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Por que os gatos dão “mordidinhas” repentinas?

MT resgata mais de 1,1 mil animais silvestres em 2023

Raças de cães estão em risco de extinção

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!